A unidade de saúde ficou isolada por mais de duas horas. Profissionais da saúde do governo do Distrito Federal estão no local

Profissionais do hospital Santa Lúcia, na Asa Sul, em Brasília, descartaram na manhã desta quinta-feira (23/10) a suspeita do vírus de ebola de um paciente que deu entrada no hospital nesta madrugada. A assessoria da unidade informou que foi realizado o protocolo de emergência, em que o local ficou isolado por mais de duas horas. O paciente é um comissário de bordo de uma empresa do Panamá, e ainda passa por exames.

[relacionadas artigos=18137,18203,18467″]

O infectologista do hospital José David Urbez afirmou que o caso pode se tratar de apenas uma intoxicação alimentar. A suspeita foi levantada primeiramente por médicos da companhia aérea que o paciente trabalha. O comissário sustenta que foi à África. Segundo assessoria do hospital, os médicos também fizeram exames para a febre chikungunya.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal divulgou em nota que, mesmo com a suspeita descartada pelo hospital, equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) estão na unidade de saúde. A suspeita só será completamente descartada após constatação de especialistas do governo do DF.

O vírus é transmitido por fluídos corporais de infectados. Os principais sintomas do ebola são febre, dores de cabeça, nos músculos, articulações, e garganta seca, podendo ter ainda hemorragia.