Votante foi identificado, mas ainda não foi preso. Ele pode responder por prática de crime eleitoral

O eleitor já foi identificado e está sendo procurado pela Polícia Federal | Foto: Marcelo Brandão
O eleitor já foi identificado e está sendo procurado pela Polícia Federal | Foto: Marcelo Brandão

Um eleitor passou cola instantânea em uma das teclas da urna eletrônica na Escola Estadual Professor Sérgio Fayada Generoso, na seção 198, no bairro Formosinha, em Formosa, a cerca de 242 quilômetros de Goiânia, durante a votação pelo segundo turno das eleições, por volta das 10h deste domingo (26/10).

Com isso, ela não pôde ser pressionada. O incidente foi percebido apenas pelo eleitor seguinte, que entrou na cabine de votação e comunicou o acontecimento aos mesários. No entanto, quando foram atrás, o suspeito já tinha fugido. A urna foi trocada.

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), o eleitor que colou a tecla da urna já foi identificado e está sendo procurado pela Polícia Federal por prática de crime eleitoral.

Prisões

O presidente de uma das seções na Pontifícia Universidade Católica de Goiás, (PUC Goiás) foi preso na manhã deste domingo. Ele deveria estar no local por volta de 7h40, e só chegou às 11h para trabalhar. De acordo com o TRE-GO, um juiz estava no local e mandou prender o presidente da sessão. Outro mesário o substituiu como presidente da seção e um eleitor que estava no local foi convocado para ocupar o posto de mesário.

Até o momento, quatro prisões foram registradas no estado, conforme informações do TRE-GO. Além dessa prisão, em Goiânia, outra foi registrada no município de Jaraguá e outras duas no município de Minaçu.