Eleição do Centro Acadêmico de Relações Internacionais da PUC Goiás é marcada por tentativa de fraude

No grupo do curso no Facebook, um representante da Comissão Eleitoral divulgou a informação de que foram identificados 44 votos a mais do que o número de votantes

Campus V da PUC Goiás | Foto: Reprodução

A eleição para o Centro Acadêmico de Relações Internacionais Sérgio Vieira de Mello (Carisvim), da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), ocorrida na terça-feira, 11, foi marcada por uma tentativa de fraude.

No grupo do curso no Facebook, Rafael Moreira, representante da Comissão Eleitoral, divulgou a informação de que foram identificados 44 votos a mais do que o número de votantes.

Uma averiguação feita pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) e pela Coordenadoria de Assuntos Estudantis (CAE) encontrou exatamente 44 cédulas fora dos padrões — havia distorções de tamanho, cor, espaçamento e letra.

Elas foram desconsideradas e a apuração final apontou que a diferença entre as duas chapas concorrentes foi de apenas 15 votos. Todas as 44 cédulas fraudulentas foram depositadas em favor da chapa perdedora e, portanto, poderiam ter mudado o resultado da eleição.

Ainda no grupo do Facebook, Rafael Moreira afirmou não ter provas de que integrantes da chapa perdedora estejam envolvidos na tentativa de fraude e, por isso, qualquer acusação seria “de cunho leviano”.

Nos comentários, alunos do curso criticaram o caso. “Lamentável ver que chegaram a esse nível”, escreveu um discente. “A situação está vergonhosa”, disse outra estudante.

Em uma das publicações, o representante da Comissão Eleitoral repudiou a tentativa de fraude. “A investida em beneficiar um lado e prejudicar o outro é repudiada pela Comissão Eleitoral desta eleição, pela CAE e pelo DCE.”

Procurada pelo Jornal Opção, a Divisão de Comunicação (Dicom) da PUC Goiás não se pronunciou até o fechamento desta matéria.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.