“É inegável que a Saúde em Goiânia piorou”, diz líder do PMDB

Vereador Clécio Alves, presidente da comissão que investigará pasta, nega motivação política e aponta situação caótica na capital

Vereador Clécio Alves, presidente da CEI da Saúde | Foto: Alberto Maia

Presidente da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investigará o caos na Saúde municipal, o vereador Clécio Alves (PMDB) rebateu ao Jornal Opção críticas do colega Paulo Daher (DEM) sobre a motivação para a instalação do colegiado.

Segundo o líder do PMDB na Câmara de Goiânia, não se trata de insatisfação de parlamentares por supostas perdas de cargo na Secretaria Municipal de Saúde, como sugeriu o democrata, mas sim de uma atitude imprescindível.

“Lamentável, infeliz e inoportuna a colocação do vereador Paulo Daher, que foi eleito vice-presidente da CEI com meu voto de desempate [a tucana Dra. Cristina havia recebido três votos e o democrata também três, sendo este eleito com voto de minerva de Clécio Alves]”, disse.

Para o peemedebista, é “inegável” que o serviço oferecido nas unidades de Saúde de Goiânia pioraram desde que a secretária Fátima Mrué assumiu o cargo (em janeiro de 2017). “Não sou eu quem estou dizendo, é a população, as filas da morte das UTIs, as atitudes que ela toma que vêm contra qualquer lógica”, lamentou.

Para citar alguns exemplos dos descalabros da auxiliar do prefeito Iris Rezende (PMDB), o vereador listou a decisão de não fazer os repasses obrigatórios aos hospitais particulares conveniados, o que culminará no fechamento de 52 leitos de UTI, bem como na denúncia de que a secretaria tem recebido verbas do Estado para manter mais de 500 leitos, mas menos de 440 foram identificados.

“Estou tentando de todas as maneiras ajudar o prefeito Iris Rezende. Não tenho nada contra a pessoa da secretária, nem a favor. A pessoa eu até admiro a história, é uma cientista qualificada, premiada, respeitada no ramo. Porém, como gestora, pelo amor de Deus”, completou.

Por fim, Clécio Alves garantiu que o trabalho da CEI da Saúde, que será instalada nesta segunda-feira (16), será “isento, apartidário, responsável” e todas as ações serão “transparentes”.

“Não vai virar palanque contra a secretária porque não estamos lá para isso. Não me prestaria a esse papel. Vamos buscar qualidade que a população merece, reparos que são necessários. Comissão de Inquérito não veio para fazer politicagem, não veio para poder ganhar cargo na prefeitura”, completou.

Clécio Alves fez, ainda, um alerta a Paulo Daher (DEM): caso o democrata saiba de algum vereador que está atacando a secretária da Saúde porque perdeu cargos na prefeitura, deve fazer a denúncia aos órgãos competentes. “Caso contrário, estará prevaricando”, sentenciou.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.