“Descrédito da classe desestimula pessoas sérias a se envolverem com política”

Kelson Vilarinho (PSD), prefeito reeleito de Cachoeira Alta (GO), avalia que a crise de imagem e rejeição da população afeta a todos os políticos

Kelson Vilarinho (PSD) foi reeleito em Cachoeira Alta,  um dos poucos prefeitos da região sudoeste do Estado que conseguiram mais quatro anos de mandato | Foto: Alexandre Parrode

Kelson Vilarinho (PSD) foi reeleito em Cachoeira Alta, um dos poucos prefeitos da região sudoeste do Estado que conseguiram mais quatro anos de mandato | Foto: Alexandre Parrode

Segundo dados da Associação Goiana dos Municípios, dos 112 prefeitos de cidades goianas que tentaram a reeleição em 2016, apenas 63 conseguiram garantir permanência no mandato por mais quatro anos. Um deles foi o prefeito Kelson Vilarinho (PSD), de Cachoeira Alta, no Sudoeste do Estado. Vilairinho considera os números negativos e a isso, atribui a crise que recai sobre a classe política.

“Tudo o que temos visto no cenário nacional, com a Operação Lava Jato, o Petrolão, a mudança no governo federal, acredito que tudo isso foi decisivo nas eleições deste ano, criando um sentimento forte de mudança na população, o que bateu de frente com a candidatura de reeleição de vários prefeitos”, afirmou.

Em visita ao Jornal Opção, o pessedista lamentou o momento de descrédito que vive a classe política, o que, segundo ele, faz com que “pessoas sérias” sejam desestimuladas a ingressar na vida pública. “O problema é que todos esses escândalos têm afetado os políticos de forma geral, as pessoas colocam tudo em uma panela só e isso desestimula pessoas boas, competenetes, a se envolverem com política”, lamentou.

“O que vemos hoje nas bases é que isso tem afastado aqueles poderiam ser bons gestores, que tem conhecimento técnico, que teriam muito a somar a seu município. Eles acham que não vale a pena, que seria um sacrifício muito grande. Hoje, para um homem que tem esposa e filhos, entrar para a política é um grande sacrifício para ele e para a família toda”, completou.

Quando questionado quais os fatores que fizeram a diferença para que tenha conseguido ser reeleito, Vilarinho aposta no contato mais próximo com o eleitor. “O que nos ajudou foi esse contato com a comunidade, através das redes sociais e canais de comuncação, mas não apenas isso. Temos um bom trabalho na área rural, com os grupos da melhor idade. Além dos feitos da nossa gestão, como geração de emprego e melhora no atendimento em saúde.”

Além de se preparar para mais quatro anos a frente da Prefeitura de Cachoeira Alta, Kelson Vilarinho também busca alçar voos maiores e apresenta candidatura para a presidência da AGM para, segundo ele, dar maior representatividade aos municípios da região Sudoeste.

Ele defende que o prinicipal foco do próximo comandante da associação deve ser o Pacto Federativo. “A maior dificuldade dos municípios hoje é a queda da receita e o aumento das obrigações da prefeitura. Hoje, muitos órgãos estaduais e federais só funcionam com ajuda do município e isso é insustentável. Por isso o Pacto Federativo é prioridade.”

“O que precisamos hoje é de uma associação forte. Os prefeitos precisam de representatividade e de um bom canal de comunicação com o governo do Estado e governo federal. E ainda, acima de tudo, precisamos de independência”, arrematou.

Kelson Vilarinho já foi vereador e vice-prefeito de Cachoeira Alta por duas vezes e agora foi eleito prefeito pela segunda vez. Já foi presidente da Associação do Municípios do Extremo Sudoeste Goiano (AMESGO) e foi diretor administrativo na AGM.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.