Deputados petistas dizem que PMDB deve provar rombo e começar a trabalhar

Humberto Aidar e Adriana Accorsi lembraram que até agora Iris não apresentou relatórios oficiais e tampouco começou a cumprir promessas de campanha

Por Bruna Aidar e Alexandre Parrode

Os deputados estaduais Humberto Aidar (PT) e Adriana Accorsi (PT) criticaram, em entrevista ao Jornal Opção, as afirmações do PMDB de que o ex-prefeito Paulo Garcia (PT) deixou um rombo nas contas da Prefeitura de Goiânia. Segundo eles, o atual prefeito, Iris Rezende (PMDB) precisa provar o déficit e começar a administrar Goiânia.

“Me causa estranheza um homem experimentado como o Iris Rezende (PMDB) passar um mês no cargo e, em vez de estar preocupado com sua gestão, com terminar de montar sua equipe, ficar procurando possíveis rombos. Para isso, existe auditoria”, alfinetou Humberto. “Iris, vá trabalhar, faça o que o senhor sabe fazer.”

Para o deputado, se essas acusações realmente procederem, o PMDB deveria tomar atitudes práticas em relação a elas. “Penso duas questões: Se houve ilegalidade, rombo, o prefeito tem que informar, mas também entrar com ações, senão tá prevaricando. A outra questão é administrar a cidade. Quem resolveu dizer mais uma vez que ia resolver tudo em rápidas pinceladas, até agora… nada”, afirmou ele.

Ele criticou também que o PMDB, que fez parte de toda a administração de Paulo, venha a público reclamar de uma gestão que ajudou a fazer: “É típico do PMDB”. Adriana concorda: “A gente lamenta é que o PMDB fez parte da administração do Partido dos Trabalhadores por quase todo o período em que nós estivemos na prefeitura”.

“Agora, todos aqueles que assumem um mandato têm ciência da condição que está e têm ciência também quando fazem suas promessas, então isso tem que ser levado em conta, uma vez que várias promessas foram feitas”, pontuou ela.

Para Adriana, as acusações são meramente políticas, e não administrativas. “Como candidata, deputada e líder do PT na Assembleia, eu posso dizer com certeza que uma das prioridades do prefeito Paulo foi sanear as contas públicas, tanto que ele tomou várias medidas impopulares e não investiu tanto na divulgação de suas obras em razão da crise financeira”, continuou.

Humberto questionou ainda quem está fazendo as acusações: “São os puxa-saco do Iris, que vivem pendurados em emprego público, que ficam alardeando esse tipo de coisa. Faz o que tem que ser feito e administra a cidade. Eu tenho um programa de rádio e as pessoas estão reclamando, não mudou nada”.

Modernidade

Além de criticar as alegações de que há rombo na prefeitura, Humberto cobrou atitudes mais “modernas”: “As pessoas querem produtividade, querem política de resultado, o tempo é outro. Goiânia é uma cidade moderna, não dá pra ficar chamando as pessoas para mutirão. As pessoas não são obrigadas a participar de mutirão, até porque pagam impostos. E caros”.

“Então deixa dessa falácia, dessa demagogia barata, se tem alguma coisa da administração do Paulo, que traga a público. E quero dar um recado para o prefeito que saiu também: Apresente as contas”, disse ele. “Daqui a pouco o prefeito daqui vai fazer igual ao de São Paulo [João Doria (PSDB)] e tirar foto vestido de gari”.

Outra questão comentada pelo petista é a atuação de Dona Iris na prefeitura, muito contestada. Embora ela não tenha nenhum cargo oficialmente, peemedebistas dizem que ela despacha e toma decisões administrativas no Paço Municipal. “A cidade tem o prefeito, não tem vice, mas tem uma prefeita. A informação que temos é que lá, qualquer pessoa, para falar com o Iris, tem que passar pelo crivo da prefeita Dona Iris, que sequer é secretária e tampouco foi votada, está aí se preparando para sua possível eleição para deputada”, criticou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.