Deputados afirmam que PSD terá candidato a prefeito de Goiânia

Nome lembrado para a disputa, Virmondes acredita que ter duas candidaturas pela base seria uma boa estratégia, e garante que tudo será conversado com o tucano-chefe

montagy

Líder do PSD na Assembleia, Lissauer, e deputado estadual Virmondes Cruvinel / Marcos Kennedy

Durante sessão na Assembleia Legislativa, na última terça-feira (17/3), os deputados Lissauer Vieira, líder do PSD, e Virmondes Cruvinel (PSD), disseram ao Jornal Opção Online que a legenda quer um candidato para Prefeitura de Goiânia. Se necessário, integrantes garantem que sigla irá lançar candidatura própria, fora da coligação do governador Marconi Perillo.

Virmondes, possível nome na disputa pelo cargo, garante que tudo será conversado com o tucano-chefe. Esta é a pretensão do PSD, e conforme deputado, ter duas candidaturas da base seria uma boa estratégia. “Poderíamos ter um segundo turno com PSD e PSDB, duas legendas da base do governador”, explica, pregando uma ideia de que não haveria rompimento, e sim multiplicação.

Líder do PSD na Casa, Lissauer lembra que legenda possui cinco deputados estaduais, dois federais, além do secretário Vilmar Rocha, político próximo do governador. Conforme Lissauer, a intenção é mostrar que o PSD tem nomes viáveis e fortes, assim como o PSDB e outras legendas da base.

Apontando extrema necessidade do partido lançar candidatura própria, o parlamentar sustenta que o partido cresceu e se consolidou em Goiás, com uma força inquestionável. “Estamos lutando para lançar candidatos na maioria dos municípios do Estado”, disse. PSD tem se articulado de forma profunda em Rio Verde, com o nome do deputado Heuler Cruvinel em evidência.

Ao citar os nomes de Virmondes e Francisco Júnior, Lissauer garantiu que não risco de desgaste ou rompimento da base. O deputado pontuou a existência de dois turnos nas eleições, e que isso será sentado e discutido com o presidente estadual Vilmar Rocha, e a base do governador.

Em contrapartida dos depoimentos acima, o citado Francisco Júnior não se adentra muito na discussão, tendo dito que esta é uma questão partidária. De acordo com Francisco — que agradece o fato de seu nome ser lembrado –, as conversar quanto à possibilidade do PSD lançar candidatura própria ainda irão acontecer. Conforme parlamentar, pesquisas irão auxiliar na avaliação dos nomes.

Questionado se via como positivo uma legenda sair de uma ampla coligação para lançar candidatura própria, Francisco pontuou que é uma questão de estratégia. “Para garantir eleição, não basta nome e vontade. Tem que avaliar a viabilidade do nome, os apoios. No momento certo veremos se é bom lançar dois candidatos ou não. Vamos avaliar lá na frente.”

A negativa do partido do governador

Ao falar pela legenda, o deputado estadual Gustavo Sebba (PSDB), pontuou que esse processo de lançar nomes é natural dentro de qualquer legenda. Questionado se seria possível uma legenda da base lançar candidatura própria, o parlamentar respondeu com um contundente “não”.

Gustavo afirmou que todos os nomes da base serão debatidos, e o político mais fortalecido terá o nome lançado como candidato. O deputado completou dizendo que os tucanos pretendem lançar candidato em Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiás, além de pelo menos outros 70 municípios.

Marcelo Augusto pelo PHS
Deputado estadual Francisco Oliveira / Foto: Marcos Kennedy

Deputado estadual Francisco Oliveira / Foto: Marcos Kennedy

Há algum tempo sem frequentar o plenário da Assembleia — de acordo com ele, devido às constantes viagens pelas cidades que o apoiaram no último pleito — , o deputado Francisco Oliveira (PHS), o Chiquinho, lembrou que o presidente do PHS em Goiânia, Marcelo Augusto, já divulgou seu nome como possível candidato à prefeitura pela legenda.

Defensor do nome do presidente da Agência Goiana de Transporte e Obras Públicas (Agetop), Jayme Rincón (PSDB), para a disputa, o parlamentar explica que ainda não teve uma conversa com Marcelo sobre a disposição de seu nome. “Eu, particularmente, acho que o nome do Jayme é o melhor.”

Chiquinho defende a ideia de que o importante no momento não é lançar candidatura, mas sim ter um nome em comum, com a base unificada. “Até porque o adversário é forte”, completou.

Questionado se acreditava que o governador seria a favor desse lançamento de candidatura a parte, Chiquinho garantiu que o gestor não impõe nada, e que cabe às legendas discutirem.

2
Deixe um comentário

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Jopsss

Gustavo Sebba sempre com resposta coerentes e de profundo conhecimento do assunto..

Paula Nakano

gustavo sebba é um nome forte na politica desse nosso Brasil! Tem futuro