CRER leva dispositivos ortopédicos à população com atendimento itinerante

Em 2020, a oficina vai passar por 12 cidades, entre elas, Luziânia, Formosa, Uruaçu, Porangatu, Iporá, Jataí, Goianésia, Aparecida de Goiânia, Mineiros, Rio Verde

Foto: Reprodução

Os profissionais do Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer) levaram atendimento a moradores de 12 regionais do Estado durante o ano de 2019 a bordo de um caminhão adaptado. Ao todo, 1.420 pessoas foram atendidas e 2.760 produtos ortopédicos foram confeccionadas e entregues aos pacientes.

“Tivemos um ano de trabalho muito produtivo. Passamos por 12 municípios goianos, levando atendimento a moradores desses locais e também de todas as cidades vizinhas. Nosso objetivo é levar assistência de qualidade e especializada a pessoa com algum tipo de deficiência que muitas vezes nem sabe que tem direito a esse tipo de atendimento”, explicou o supervisor de Ortopedia Técnica, Rodrigo da Silveira Campos.

Em 2020 a Oficina Itinerante deve passar por outros 12 municípios goianos. Os atendimentos já começaram, a primeira cidade a receber a equipe de profissionais do CRER foi Ipameri, onde foram entregues 257 dispositivos ortopédicos à população entre os dias 13 e 17 de janeiro.

Além de Ipameri, a Oficina Ortopédica Itinerante do Crer vai passar também  pelas cidades de Luziânia, Formosa, Uruaçu, Porangatu, Iporá, Jataí, Goianésia, Aparecida de Goiânia, Mineiros, Rio Verde e em algum município da regional Pirineus.

Em funcionamento desde agosto de 2017, a Oficina faz parte do programa “Viver sem Limites”, do Ministério da Saúde (MS), em parceria com a Secretaria de Saúde de Goiás. A unidade móvel é gerida pelo CRER pelo fato do hospital já possuir uma Oficina Ortopédica fixa habilitada pelo MS. Todo o atendimento realizado no caminhão é gratuito, pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O trabalho na Oficina Ortopédica Itinerante, é executado por profissionais do CRER, dentre eles fisioterapeuta, técnico ortopédico, motorista e agente administrativo. A bordo do caminhão, os profissionais produzem órteses, próteses, coletes ortopédicos, palmilhas, calçados para pés neuropáticos, confecção de adaptações, ajustes e alguns consertos em dispositivos ortopédicos já utilizados pela população.

Os atendimentos acontecem em duas etapas. Em um primeiro momento, a unidade móvel fica na cidade por uma semana fazendo cadastro, colhendo medidas, recolhendo prescrições médicas e avaliando os pacientes. Depois de 60 dias, a unidade móvel volta ao município para a entrega dos produtos ortopédicos confeccionados pela Oficina Ortopédica do CRER.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.