Nos primeiros três meses deste ano, os Correios enfrentaram um prejuízo significativo, com perdas estimadas em até R$ 800 milhões. A informação é do Correio Braziliense.

Em uma tentativa de ocultar esses resultados negativos, a gestão da empresa decidiu manter em sigilo os dados econômicos-financeiros, de acordo com fontes do periódico.

Apesar do aumento nas demandas relacionadas a compras internacionais, os Correios ainda enfrentam um déficit considerável. Segundo gestores, o valor exato das perdas ainda está em fase de cálculo. Em dezembro de 2023, os Correios reportaram um prejuízo de R$ 597 milhões, uma melhora de 22% em relação ao ano anterior.

Os Correios confirmam que os dados dos primeiros três meses de 2024 estão em sigilo até a aprovação pelo Conselho de Administração. A empresa promete publicar os resultados em seu site após a aprovação. Entretanto, há uma expectativa de lucro de R$ 150 milhões para o ano de 2024.

“Historicamente, os indicadores no primeiro trimestre são mais baixos e aumentam no decorrer do ano. A empresa trabalha com a previsão de lucro na ordem de R$ 150 milhões para 2024”, completa o posicionamento da empresa.

Em 2023, a receita da venda de produtos e serviços aumentou em R$ 836 milhões. Contudo, a gestão atual tem direcionado verbas significativas para patrocínios de eventos, muitas vezes sem alinhamento com a visão estratégica da empresa.

Um exemplo é um festival cultural em São Paulo, que inicialmente receberia R$ 2 milhões, mas acabou recebendo R$ 6 milhões, com essas informações também mantidas em sigilo.

Leia também: