Conversas mostram como funcionava esquema de fraude na transferência de veículos

Servidores do Ciretran de Anápolis recebiam propina para simular vistoria de veículos e realizar transferências

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores (Derfrva), deflagrou nesta quinta-feira (21/12) a segunda fase da operação Intraneus para desarticular grupo que fraudava transferências de veículos em Anápolis.

Com o apoio do Detran, a polícia descobriu que servidores da  Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Anápolis recebiam propina para simular vistorias nos automóveis.

Foram cumpridos mandados de prisão contra quatro servidores e um despachante suspeitos de envolvimento no esquema. Conversas entre os servidores, uma pessoa que pagou propina para a quadrilha e o despachante que intermediava  a simulação das vistorias foram divulgadas pela polícia (veja fotos acima).

No entanto, há a suspeita de que outros quatro servidores também participavam do esquema. Eles prestarão depoimento nesta sexta-feira (22/12).

De acordo com o delegado, os servidores não foram ouvidos mediando condução coercitiva porque a medida está proibida desde a decisão liminar proferida pelo Ministro Gilmar Mendes nesta terça-feira (19/12).

O esquema

De acordo com informações do delegado Gustavo Rigo, que está presidindo a investigação, servidores da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Anápolis recebiam propina para fazer transferência de veículos mediante simulação de vistoria.

Servidores lançavam no sistema do Detran que as os veículos em questão haviam passado por vistoria nos municípios de São Miguel do Araguaia e Mundo Novo, sem que a tal vistoria efetivamente acontecesse. Com o esquema, pelo menos 60 veículos foram transferidos sem terem sido vistoriados.

Para o delegado, as fraudes nas transferências fomentava o mercado de roubo de veículos. “Com esse esquema, era possível fazer a transferência de veículos adulterados. E, grande parte desses veículos são frutos de roubo”.

 

 

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.