Conselho de Ética vota novo relatório do caso Cunha na semana que vem

Deputado Marcos Rogério assumiu relatoria após afastamento de Fausto Pinato, que recebeu manifestações de apoio durante sessão tumultuada

Brasília- DF10-12- 2015 Foto Lula Marques/Agência PT   Reunião do conselho de ética. Deputados Wellignton Roberto e José Geraldo trocam tapas durante a sessão.

Marcos Rogério apresenta novo relatório na terça-feira (15/12) | Foto: Lula Marques/ Agência PT

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, José Carlos Araújo (PSD-BA), convocou para a próxima terça-feira (15/12), às 9h30, uma reunião do colegiado para apresentação e votação do relatório do deputado Marcos Rogério (PDT/RO), que assumiu nesta quinta-feira (10) a relatoria do processo contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Para garantir que a apreciação do relatório não seja atrapalhada por manobras de aliados do presidente da Câmara, Araújo já convocou reuniões do Conselho também para a tarde de terça-feira e para quarta-feira (16), de manhã e à tarde.

A sessão desta quinta-feira foi marcada por várias manifestações de apoio ao ex-relator do colegiado Fausto Pinato (PRB-SP), substituído pelo deputado Marcos Araújo. O presidente do Conselho ressaltou que, apesar de ter cumprido a ordem da primeira vice-presidência da Casa de afastar Pinato, vai recorrer da decisão.

Araújo disse que, antes da escolha do relator, foi orientado pela Secretaria-Geral da Mesa de que, no momento do sorteio para escolha do relator, o bloco político que estaria valendo seria o bloco atual, e não o arranjo político do início da legislatura.

Pelo regimento, parlamentares do mesmo bloco ou estado do representado não podem ocupar o cargo. Atualmente o partido de Pinato, o PRB, não faz parte do bloco do PMDB, mas, no início da legislatura, Pinato compunha o bloco de Cunha. “A SGM disse que o bloco a ser seguido era o novo bloco. Foi a informação que tivemos à época. Se fomos induzidos ao erro, paciência”, esclareceu.

O líder da Rede, Alessandro Molon (RJ), considerou a informação dada pela Secretaria-Geral da Mesa gravíssima. “Se o vice-presidente tomou uma decisão contrária ao entendimento existente, é uma informação muito grave”, criticou.

Pinato agradeceu o apoio que recebeu de parlamentares governistas e oposicionistas e disse que pessoalmente não vai “mover uma palha” para voltar à relatoria. “Eu acredito na maioria desse Parlamento. A decisão foi feita monocraticamente e não pela Casa. Não vou mover uma palha, confio nessa presidência e confio na grande maioria dos parlamentares que representam o nosso país. Caso façam algum recurso para eu voltar e eu não volte, quero dizer da confiança [que tenho] no novo relator. Podem me tirar a relatoria, mas continuo sendo segundo vice-presidente desse Conselho de Ética”, disse o ex-relator do caso.

Deixe um comentário