Cobrado por servidores, Iris sugere que “não é grito” que o fará pagar data-base

Questionado por populares na Câmara sobre reajuste salarial, prefeito disse que ninguém defende mais funcionalismo que ele 

Iris Rezende presta contas | Foto: Larissa Quixabeira

Questionado por populares que se manifestam durante a sessão desta segunda-feira (19/2) na Câmara, o prefeito de Goiânia avisou que não enviará o projeto que concede reposição salarial aos servidores do município e que não se intimida com cobranças.

Ao relembrar quando assumiu a prefeitura em 2005, Iris Rezende (MDB) disse que “ninguém defende servidor público” mais do que ele e que tem “amor de pai para filho” com o funcionalismo.

No entanto, ao ouvir os gritos de cobrança, afirmou que “não foram gritos que o fizeram mudar de comportamento”.

“Tudo na minha vida o faço com sinceridade. Como reajustar [o salário]? Recebi lideranças e falei se for reajustar próximo mês não se paga a folha, vamos esperar, no momento que vocês sentirem eu o farei sem qualquer oposição. Não adiante mandar reajuste e não pagar a folha”, afirmou.

 

Iris está na Câmara prestando contas do terceiro quadrimestre de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.