Cantor Lobão se une a Ronaldo Caiado contra bloqueio de manifestantes no Congresso

Músico forçou entrada na Casa nesta quarta-feira (3). Confusão teve início na sessão de ontem, quando os deputados discutiam a PLN 36/14, que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Em protesto contra o fechamento das galerias no Congresso Nacional na sessão da última terça-feira (2/12), o cantor Lobão furou o bloqueio imposto pela Polícia Legislativa, forçando sua entrada na Casa de leis na manhã desta quarta-feira (2). Lobão foi recebido na Câmara pelo deputado federal e senador eleito Ronaldo Caiado (DEM).

Por volta das 14h30, logo depois de deixar o Congresso, o cantor informou, via redes sociais, que iria à Procuradoria Geral da República (PGR) para tratar do bloqueio dos manifestantes com o procurador-geral Rodrigo Janot. “Eu vim, antes de qualquer coisa, para falar com o líder para liberar o povo”, disse Lobão em vídeo compartilhado em sua conta no Twitter. O músico avaliou a medida como “imoral”.

Durante votação do PLN 36/14 — que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) —, na última teça-feira, cerca de 50 manifestantes foram impedidos pelo presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB), de acompanhar a sessão. Em resposta, parlamentares da oposição reagiram e se juntaram aos manifestantes, fazendo com que a sessão fosse suspensa e transferida para esta quarta-feira.

*Leia Mais
Senador eleito Ronaldo Caiado se junta a manifestantes contra aprovação do PLN 36/14

Pelo Facebook, Ronaldo Caiado publicou fotos ao lado de Lobão, atacando a medida do presidente do Legislativo nacional. “A decisão de fechar o Congresso Nacional para a população só interessa a quem quer ver o Legislativo subserviente aos interesses do Palácio do Planalto. Quem está aqui protestando, está aqui pela independência entre os poderes. Está aqui em defesa da República. Em defesa da democracia. A pressão popular derrubou a sessão de ontem e vai derrubar a de hoje. A oposição precisa da ajuda de vocês. Vamos nos mobilizar nas redes sociais também”, pediu o democrata.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.