Campanhas eleitorais começam a esquentar com divulgação de documentos de grupos criminosos

Movimentações e listas de pagamentos de propinas do doleiro Fayed Trabouse serão divulgadas em breve

As campanhas eleitorais, que tiveram início no dia 6 deste mês, começam agora a esquentar com documentos, gravações de vídeos e aúdios feitos pela Polícia Federal  (PF) em operações deflagradas a toque de caixa para abastecer o jogo político que vai até 5 de outubro – data que o eleitor preenche seu voto na urna eletrônica.

Em março deste ano a PF deflagrou a operação Fundo Perdido, contra fraudes na gestão de fundos previdenciários públicos. O esquema atuava em 107 cidades de nove estados brasileiros. A operação é continuação da Operação Fundo Falso, que combateu grupo que fraudava pensões municipais em todo país. E o final de todo trabalho da PF será uma grande operação deflagrada antes do dia das eleições.

A novidade da operação Fundo Perdido é o nome do petista paulista Cândido Vacarezza, que aparece nas gravações da organização criminosa que atuava nos fundos de previdências.

Segundo a PF, as organizações criminosas se comunicam entre si e se referem a um grande chefe, que se supõe ser um político de renome do cenário nacional.

Na semana passada, após três meses de “licença” da delegada Andrea Pinho, que deflagrou a Operação Miquéias, Lava Jato e que investigava a participação do ex-presidente petista Lula no mensalão, denunciado por Marcos Valério, foi afastada das operações e atualmente prepara relatórios nos inquéritos instaurados por ela própria.

As autoridades policiais, que trabalham nas operações, começarão o vazamento de documentos e gravações  para os brasileiros que votarão em outubro.

Sobre as movimentações e as listas de pagamentos de propinas do doleiro Fayed Trabouse Já se sabe que o governador de Tocantins, Eduardo Siqueira Campos (PTB), e o ex gestor do fundo de previdência do Estado, Rogério Villas Boas, receberam benefícios do doleiro. Os nomes deles também aparecem na lista com destaque, bem como o já  conhecido ex-presidente Fernando Collor e o ex-ministro Pedro Paulo Leone Ramos.

A agenda completa de Fayed Trabouse, apreendida pela PF, será divulgada em breve.

As informações são do Blog do Mimo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.