Número já é maior que a cobertura nessa faixa etária de EUA (63%) e Inglaterra (66%)

Vacinação contra a Covid-19 | Foto: reprodução

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, a vacinação de jovens é mais rápida e mais eficiente no Brasil. No último dia 18, o país tinha vacinado com ao menos uma dose 70% da população com 18 a 24 anos. Já é mais que a cobertura nessa faixa etária de EUA (63%) e Inglaterra (66%), dois países pioneiros na vacinação.

De acordo com a Folha, os dois países enfrentam resistência de parte da população em se vacinar, e é justamente entre os mais jovens que está a menor cobertura. Nos EUA, campanhas já chegaram a oferecer cerveja e prêmios para quem fosse tomar os imunizantes.

No Brasil, a adesão do público tem permitido que a imunização alcance grande parcela da população em menos tempo, mesmo que interrupções na campanha em algumas cidades e estados sejam razoavelmente frequentes, em razão do desabastecimento de doses.

No dia 18 de junho, segundo a Folha, o Brasil tinha vacinado 10% dos jovens de 18 a 24 anos. Em 28 de agosto, 71 dias depois, a cobertura tinha chegado a 60%. Em comparação, os Estados Unidos precisaram de 165 dias para alcançar o mesmo patamar de imunização, mais do que o dobro do tempo brasileiro. Para a Inglaterra, foram necessários 135 dias.

Além disso, idosos são uma parcela menor da população, o que demanda um esquema menos robusto de organização da campanha. São 4,6 milhões os brasileiros com mais de 80 anos, ante 23,6 milhões com 18 a 24 anos. No caso da Covid, isso se soma a uma menor sensação de risco por parte dos jovens, que são minoria entre casos graves e mortes pela doença. Entre os internados, os que têm 18 a 24 anos não chegam a 3%.