Auxílio emergencial: em junho, 43% dos lares brasileiros receberam o benefício

Dentre os 14,8 milhões de trabalhadores afastados de seus postos durante a pandemia em junho, 7,1 milhões estavam sem remuneração

Lançamento do aplicativo CAIXA|Auxílio Emergencial

O Auxílio Emergencial e o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e Renda atingiu cerca de 29,4 milhões dos 68,3 milhões de domicílios brasileiros no mês de junho. Ou seja, 43% do total. Em maio, eram 26,3 milhões, de acordo com dados levantados pela “Pnad Covid19”, pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A média foi de R$881 por domicílio.

Percentual de domicílios que receberam algum auxílio relacionado à pandemia e o valor médio recebido no domicílio – Brasil e Grandes Regiões – maio e junho de 2020

Dentre os 14,8 milhões de trabalhadores afastados de seus postos durante a pandemia, 7,1 milhões estavam sem remuneração. Ou seja, 48,4% dos afastados. Em maio, essa fatia representava 51,3% dos trabalhadores, ou 9,7 milhões de pessoas. Entre os que trabalharam, 27,3% (ou 18,7 milhões) tiveram uma jornada menor que o habitual, enquanto 2,6 milhões trabalharam mais que o habitual. A média semanal de horas ficou em 29,5h, abaixo da média de 39,8h.

Com isso, o rendimento também ficou abaixo do habitual, com ganhos de R$1.944, 16,6% a menos do habitual de R$2.332. Já a taxa de desocupação aumentou 1,7 ponto percentual em junho. Em maio, a taxa era de 10,7. Em junho, passou a 12,4%. Todas as regiões do país registraram aumento na desocupação de maio para junho, crescendo de 11,2% para 13,2% no Nordeste, de 10,9% para 12,9% no Sudeste, de 11,4% para 12,4% no Centro-Oeste, de 11,0% para 12,3% no Norte e de 8,9% para 10,0% no Sul.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.