Neste sábado, 22, ataques israelenses a distritos da Cidade de Gaza, no norte do enclave palestino, resultaram na morte de pelo menos 42 pessoas. A informação é do diretor da assessoria de imprensa do governo, controlado pelo Hamas.

Ismail Al-Thawabta relatou à agência de notícias Reuters que um ataque de Israel em Al-Shati, um dos oito campos de refugiados históricos da Faixa de Gaza, matou 24 pessoas. Um ataque no bairro de Al-Tuffah matou outros 18 palestinos.

O Exército israelense emitiu um comunicado declarando que, “recentemente, caças do IDF atingiram dois locais de infraestrutura militar do Hamas na região da Cidade de Gaza”.

O Hamas não respondeu à alegação israelense de ter atingido infraestrutura militar, mas declarou que os ataques miravam civis e prometeu que “a ocupação e seus líderes nazistas pagarão o preço por suas violações contra nosso povo”.

Imagens obtidas pela Reuters mostraram um cenário de caos: palestinos em desespero tentando resgatar vítimas entre casas destruídas, destroços e poeira nas ruas do campo de refugiados Shati.

Os ataques em Gaza começaram quando militantes liderados pelo Hamas invadiram o sul de Israel em 7 de outubro, mataram cerca de 1,2 mil pessoas e tomaram mais de 250 como reféns, de acordo com contagens israelenses.

Leia também: Chefe da ONU chama de ‘escândalo moral’ bloqueio de ajuda à Faixa de Gaza