Assembleia Legislativa concede título de cidadania goiana ao presidente do TJ-GO

Em Goiás há 38 anos, o desembargador Carlos França lembrou que foi no Estado que se realizou profissionalmente e onde constituiu família

A Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) aprovou a concessão de título de cidadania ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), desembargador Carlos França. A lei foi sancionada pelo governador do Estado, Ronaldo Caiado (UB). A iniciativa da propositura foi do presidente da Alego, deputado estadual Lissauer Vieira (PSD), e do hoje conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado de Goiás (TCM-GO), então deputado estadual Humberto Aidar (MDB). A data para entrega do título ainda não foi agendada.

Mineiro de Campina Verde, o chefe do Poder Judiciário agradeceu ao presidente Lissauer e ao conselheiro Humberto Aidar pela deferência e disse que receber “o título de cidadania goiana será uma imensa honra”. Em Goiás há 38 anos, o desembargador Carlos França lembrou que foi no Estado que se realizou profissionalmente e onde constituiu família.

“Fico extremamente honrado em receber esse título de cidadania, pois, embora seja mineiro de nascença, estou em Goiás desde o ano de 1984, inicialmente, para estudar. Aqui fui acolhido, alcancei realização pessoal, constitui minha família, sendo casado com Ana Cristina, uma goiana. Aqui nasceram meus dois filhos e onde também me realizei profissionalmente. Considero-me também filho deste querido Estado de Goiás”, afirmou ele. “Meu muito obrigado pela deferência dos deputados estaduais pela aprovação da lei, em especial ao presidente da Alego, deputado Lissauer, e deputado e atual conselheiro Humberto Aidar, autores da propositura da concessão do título de cidadania. É uma grande alegria. Agradeço também ao governador Ronaldo Caiado pela sanção da lei”, disse.

Além da ligação pessoal com o Estado, onde, segundo ele, “foi acolhido como filho”, o presidente do TJGO ressaltou ainda a relação de confiança que estabeleceu com Goiás, tendo a honra de integrar o Poder Judiciário goiano, trabalhar para distribuir justiça, além de se sentir muito valorizado e agradecido ao ser escolhido por seus pares para conduzir o Poder Judiciário estadual. “Não poderia ser mais grato por ter o privilégio de retribuir, por meio do Judiciário goiano, tudo que o Estado de Goiás me proporcionou”, disse. A lei concedendo o título de cidadania foi publicada no dia 5 de abril no Diário Oficial do Estado de Goiás.

Propositura

“É uma grande satisfação poder homenagear o presidente do nosso Judiciário com o título de cidadão goiano, pois apesar de ele ter nascido no interior de Minas Gerais, foi aqui no nosso estado que ele se formou em Direito, constituiu sua brilhante carreira na magistratura e fincou raízes. Juntamente com o colega Humberto Aidar, propus esse projeto de lei como reconhecimento à sua trajetória profissional, que tanto contribui para o desenvolvimento do nosso estado de Goiás”, declarou Lissauer Vieira, presidente da Assembleia Legislativa de Goiás.

O conselheiro Humberto Aidar disse que sempre foi cuidadoso ao oferecer um título de cidadania. Para ele, para receber esse título, a pessoa “tem que ter realmente prestado relevantes serviços para o Estado”. Aidar lembrou, ainda, que ele e o presidente da Alego receberam apoio unânime dos deputados estaduais quando apresentaram o projeto de concessão de título de cidadania ao presidente do TJGO.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.