Após paralisação, servidores da Saúde de Aparecida de Goiânia terão reunião com a prefeitura nesta terça-feira, 25

Segundo o SindSaúde, a mobilização começou por volta das 9 horas e durou toda manhã desta segunda-feira, 24, reunindo cerca de 250 servidores efetivos em frente ao Cais Nova Era

Servidores da Saúde de Aparecida durante protesto na manhã desta segunda-feira, 24 | Foto: divulgação/ SindSaúde-GO

Os servidores da Saúde de Aparecida de Goiânia e membros do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde no Estado de Goiás (SindSaúde-GO), paralisaram os serviços nesta segunda-feira, 24. Objetivo foi chamar  atenção do prefeito Gustavo Mendanha (MDB) para as reivindicações da categoria.

Segundo o SindSaúde, a mobilização começou por volta das 9 horas e durou toda manhã reunindo cerca de 250 servidores efetivos. O ato reuniu trabalhadores de outras unidades de saúde de Aparecida em frente ao Cais Nova Era. O sindicato disse ainda que a prefeitura tentou barrar o protesto, que foi anunciado na última quinta-feira, 20, por meio de um pedido liminar, que chegou a ser acatado pela Justiça. Mesmo com a paralisação, os serviços de urgência e emergência continuaram funcionando normalmente.

Os trabalhadores reivindicam o pagamento da data-base de 2020 (2,76%), data-base de 2021, progressão de carreira (2%), piso salarial dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agente de Combate a Endemias (ACE), cumprimento da proporcionalidade salarial entre níveis, prevista no Artigo 7º da Lei 085/14, instituição do plano de carreira para motorista de ambulância e servidores administrativos, concurso público e melhores condições de trabalho. Além do pagamento do auxilio emergencial dos trabalhadores credenciados que adoeceram devido ao Covid-19.

Os representantes sindicalistas esperam que a prefeitura se reúna nesta terça-feira, 25, com os trabalhadores para tratar das pautas na tentativa de chegar a um acordo. Já na quarta-feira, 26, haverá uma assembleia, às 9 horas, em frente a prefeitura para avaliar o resultado do encontro.

Por meio de nota a Secretaria de Saúde de Aparecida disse que o atual Plano de Cargos e Salários da pasta está em conformidade com a legislação e com os acordos coletivos vigentes.

Veja a íntegra:

A Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia esclarece que o atual Plano de Cargos e Salários da pasta está em conformidade com a legislação e com os acordos coletivos vigentes. Informa que já iniciou os trabalhos de reavaliação do plano, realizado juntamente com os representantes sindicais.

A Secretaria informa ainda que tem mantido uma agenda de reuniões com representantes da Secretaria da Fazenda e das categorias de profissionais da pasta para discutir as demandas dos servidores, tais como piso salarial, data-base e progressão de carreira.

A pasta esclarece por fim que em 2020 não foi possível realizar a correção da data-base em virtude da Lei Federal n° 173/2020.

Tal posicionamento, inclusive, foi corroborado pela Justiça de Goiás, que no último domingo (23 de maio) declarou ilegal o movimento paredista deflagrado pelo Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Único de Saúde no Estado de Goiás (SindSaúde-GO). A decisão, em caráter liminar, é do juiz substituto em segundo grau Adegmar José Ferreira. Segundo o entedimento do jurista, os pleitos que motivam o movimento de greve não podem ser atendidos pelo poder público enquanto perdurar a situação de calamidade pública decorrente da pandemia de Covid-19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.