Após fim do Goiás na Frente, empreiteiras continuam sem receber obras que já iniciaram

Empresários começaram trabalhos com a garantia que o recurso seria repassado

Após uma semana do anúncio do secretário de Governo, Ernesto Roller, de que o convênio Goiás na Frente não teria continuidade devido a grande crise financeira que o Estado enfrenta, donos de empreiteiras seguem sem receber. O programa foi criado em março de 2017 para auxiliar os municípios com verba para obras e infraestrutura, mas as parcelas de repasse não foram encaminhadas para as prefeituras.

Proprietário da Vertical Engenharia, o engenheiro Nélio Carneiro disse que sua empresa está passando por dificuldades e que mesmo as obras iniciadas o dinheiro não chegou até a empresa: “Estou com duas obras paradas e além de termos gastado dinheiro do nosso bolso a população sofre com obras pela metade. Entramos neste projeto com recursos próprios porque acreditávamos que o dinheiro estaria em caixa logo.”

Representantes da Federação Goiana dos Municípios (FGM), e da Associação Goiana dos Municípios (AGM), se reuniram com secretário Roller para buscar, junto ao governo, soluções para todos os municípios que enfretam o problema.

“As prefeituras têm se mostrado muito preocupadas em quitar as parcelas das dívidas conosco, o problema é que os municípios não possuem este recurso e seus gestores também não tem o poder da caneta, que libera a verba”, acrescentou o engenheiro, Nélio Carneiro que está arcando com um prejuízo de R$ 910 de duas prefeituras.

8 respostas para “Após fim do Goiás na Frente, empreiteiras continuam sem receber obras que já iniciaram”

  1. Aloisio Faria Melo disse:

    Governador Caiado insiste em não exonerar os comissionados do TCE, pq? Reclamando dificuldades financeiras e sendo q os salários la são gigantescos e a ociosidade impar. Todos os comissionados de la foram colocados pelo o governo anterior. Não da pra entender.Salvo q tenha alguma negociação q não sabemos.

  2. Elias Santoro Marques disse:

    Veja a situação dos comissionados do Tce: na maioria mudaram de cargos para salários melhores. Ali é vergonhoso, o menor salario de comissionado e de 8.000 pode?.precisa ser exonerados e para fazer justiça tem q ser TODOS. Pedimos ao Caiado providencias.

  3. Josimas Araqueto Silva disse:

    Justiça, justiça e justiça. Governador não temos como lidar com essa situação. Difícil a nossa situação, ganhando 2000,00 e todos os cargos em comissão do Tce com salários altos, com gratificações, ociosos, sem horário pra chegar nem sair. Essa situação não tem como continuar. Não procede. Tome providencias.E abuso, é incompreensível. É inaceitável.

  4. Josimas Araqueto Silva disse:

    Ah……na maioria dos comissionados, praticamente tds já retornaram: como explicar essa situação? Calamidade no Tce.calamidade no estado com essas acoes

  5. Adão Gonçalo disse:

    Temos q fazer da nossa parte denunciando o abuso, a corrupção, a pouca vergonha ou nenhuma do Tce: cabe ao governador exonerar TODOS os comissionados q fazem do local uma verdadeira farra com nisso salario. Lá os comissionados são marajas, salários acima do normal dado pelo seus patrões. Pedimos ver essa situação e pedimos ações concretas e mirabolantes. Trabalho na saúde e nunca vi algo igual: Me sinto desconfortável.

  6. Adão Gonçalo disse:

    Será ate qdo o vice governador vai determinar as regras no Tce? Quem tem q ver isso é o governador Caiado. Esta uma vergonha. Eles trocam cargos, nomeiam, eleva salários de quem a eles interessam, fazem miséria e ninguém vê nada?

  7. Adão Gonçalo disse:

    Nos estamos vendo Tds essas aberracaoes no Tce. Aguardando conforme na campanha o governador prometeu e ate agora nada de concreto. DEMITI – LOS.

  8. Camila Curvo disse:

    Sou funcionaria do Crea, mas tenho filho funcionário do estado, indignado com o abuso no Tce tbm. Vai ter ou não providencias la? Corrupção, mazelas e orgia salarial

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.