Apenas quatro vereadores de Goiânia não faltaram a nenhuma sessão em 2017

Entre os outros parlamentares, maioria justificou ausências, que foram bem menos numerosas que em outras legislaturas

Clécio Alves (PMDB), Jair Diamantino (PSDC), Paulo Magalhães (PSD) e Andrey Azeredo (PMDB) não faltaram a nenhuma sessão em 2017 | Fotos: Câmara Municipal

Apenas quatro dos 35 vereadores da Câmara Municipal de Goiânia não faltaram a nenhuma sessão ordinária em 2017. Foram eles: Clécio Alves (PMDB), Jair Diamantino (PSDC), Paulo Magalhães (PSD) e o presidente da Casa, Andrey Azeredo (PMDB).

Apesar disso, o número de faltas justificadas e ausências dos vereadores em 2017 — 162 no total — é bem abaixo da média de anos anteriores. Este foi o primeiro ano desta nova legislatura que trouxe 22 novos vereadores para a Câmara Municipal.

O mais faltoso foi o vereador Rogério Cruz (PRB), que não compareceu a 20 sessões, tendo enviado justificativa em 16. Ele é seguido pelo vereador Romário Policarpo (PTC), que não compareceu em 16 sessões, destas, 14 justificadas.

Ainda de acordo com o levantamento, outros seis vereadores tiveram apenas uma falta durante todo o ano. Foram eles Anselmo Pereira (PSDB), Cabo Senna (PRP), Dr. Paulo Daher (DEM), Dra. Cristina Lopes (PSDB), Izídio Alves (PR), Jorge Kajuru (PRP) e Welington Peixoto (PMDB).

Não levamos em conta os dados dos suplentes Markim Goya (PMDB) e Edson Automóveis (PMN), que ocuparam cadeira na Câmara por poucos dias, e do vereador Zander Fabio (PEN), que está afastado do mandato desde o final de agosto.

Em 2017, primeiro ano da nova legislatura, nenhuma sessão foi cancelada, fato ressaltado pelo presidente Andrey Azeredo (PMDB) em balanço apresentado ao final dos trabalhos. “Essa legislatura teve uma assiduidade acima da média em relação às anteriores, o que permitiu que tivéssemos todas as sessões realizadas com votações, com exceção de apenas uma, que, por vontade e deliberação do Plenário, foi suspensa para acompanharmos, em Aparecida de Goiânia, uma assembléia da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) relativa à Capital”, afirmou o presidente.

Foram apresentados durante o ano 533 projetos de leis, 46 projetos de leis complementares, 50 projetos de decretos legislativos, 26 projetos de resolução, 16 projetos de emendas à Lei Orgânica e 22.944 requerimentos.

Além das sessões ordinárias, os parlamentares também mostraram comprometimento com as Comissões Especiais de Inquérito (CEI). Apenas este ano, três foram iniciadas e concluídas: a CEI que investigou irregularidades no âmbito da Secretaria Municipal de Trânsito (SMT), do transporte coletivo e das contas da prefeitura.

Outras duas comissões de inquérito estão em andamento, a que apura irregularidades na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e que investiga a origem do mau cheiro na Região Norte de Goiânia. Uma terceira, que vai apurar as obras paradas no município, aguarda indicação de membros por parte dos blocos e partidos para dar início aos trabalhos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.