Adolescentes acusados de homicídio são soltos por falta de vagas no sistema socioeducativo em Goiás

Dupla foi apreendida durante Operação Policarpo, deflagrada pela Polícia Civil na última semana e estavam há cinco dias na Depai

“É lamentável a situação do sistema socioeducativo em Goiás.", diz juíza | Foto: Divulgação

“É lamentável a situação do sistema socioeducativo em Goiás.”, diz juíza | Foto: Divulgação

O Ministério Público de Goiás (MPGO) determinou nesta quarta-feira (1º/10) a liberação de dois adolescentes infratores que estavam recolhidos na Delegacia de Apuração de Ato Infracional (Depai), em Goiânia. Decisão da juíza Ângela Cristina, da comarca de Goianira, ocorreu devido a impossibilidade de inclusão dos jovens em uma unidade do sistema socioeducativo no Estado.

Os adolescentes foram apreendidos durante a Operação Policarpo, deflagrada pela Polícia Civil na última semana. Os integrantes da quadrilha atuavam no tráfico de drogas em Goianira e em Goiânia e também têm envolvimento em homicídios. Um dos adolescentes liberados é suspeito de um duplo homicídio.

“É lamentável a situação do sistema socioeducativo em Goiás. Em Goianira não existe centro de internação para adolescentes infratores, apesar de serem constantes os casos que exigem a medida de internação”, disse a promotora.

Dos três adolescentes apreendidos, dois ainda estavam na sede da Depai aguardando vaga para o cumprimento da medida socioeducativa. Contudo, como não foi possível a internação, eles foram liberados, já que estão há cinco dias na delegacia, prazo máximo permitido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (Eca) de internação provisória em local não apropriado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.