A cada 146 horas de voo, um piloto comete um erro

Estudo ressaltou ainda relação do uso de álcool com a privação de sono: 15 horas acordado equivale a 0,65 ml de álcool no sangue

Uma pesquisa sobre a fadiga em pilotos de avião pretende alarmar as autoridades quanto à necessidade de mudança na aviação civil. O estudo foi apresentado na IV Jornada Latino-Americana de Fatores Humanos e Segurança Operacional na última sexta-feira (17/4).

Realizada sob coordenação do comandante Paulo Licati, dirigente da Associação Brasileira de Pilotos da Aviação Civial (Abrapac), a pesquisa apontou que a cada 146 horas de voo de um piloto, um erro é cometido.

Para a realização do estudo, foram entrevistados 91 pilotos em 155.326 horas de voo de uma grande companhia aérea brasileira durante  período de seis meses de 2012. Com um erro a cada 146 horas, chega-se ao número de 1.064 erros cometidos por pilotos e co-pilotos durante condução de aeronaves.

Quanto aos horários mais problemáticos, o estudo mostrou que de meia-noite às 6 horas é o período que causa maiores desgastes físicos e psíquicos nos pilotos, interferindo em seus humores e na suas capacidades de tomada de decisão. O segundo pior horário é das 18 horas até meia-noite.

Na pesquisa também é ressaltada a relação do uso de álcool com a privação de sono: 23 horas acordado é equivalente a 1 litro de álcool sangue; 15 horas acordado, é equivalente a 0,65 ml de álcool.

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.