10 municípios de Goiás passam a fazer parte da região integrada do DF

Mapa coincide, na maior parte, com o que os moradores do DF costumam chamar de “região do Entorno”

Vista de Alto Paraíso (GO), onde se localiza a Chapada dos Veadeiros, município incluído na Ride-DF pela Lei Complementar nº 163/2018 | Leopoldo Silva

O presidente Michel Temer (MDB) sancionou nesta semana a lei que inclui 10 municípios de Goiás e dois de Minas Gerais na Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride).

No Estado, passam a fazer parte do grupo Alto Paraíso de Goiás, Alvorada do Norte, Barro Alto, Cavalcante, Flores de Goiás, Goianésia, Niquelândia, São João d’Aliança, Simolândia e Vila Propício, fora os municípios mineiros de Arinos e Cabeceira Grande.

Criada em 1998, a Ride tem o objetivo de articular ações administrativas da União, dos estados de Goiás, Minas e do Distrito Federal. O mapa coincide, na maior parte, com o que os moradores do DF costumam chamar de “região do Entorno”.

Até agora, 21 municípios já faziam parte da Ride, além do próprio Distrito Federal. Segundo o IBGE, somadas, essas regiões abrigam 4,4 milhões de habitantes. Sozinho, o DF tem pouco mais de 3 milhões.

Criada pela Lei Complementar 94/1998, a Ride é atualmente composta pelo próprio Distrito Federal e pelos municípios goianos de Abadiânia, Água Fria de Goiás, Águas Lindas, Alexânia, Cabeceiras, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Mimoso de Goiás, Novo Gama, Padre Bernardo, Pirenópolis, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso e Vila Boa, além dos municípios mineiros de Unaí e Buritis.

A nova lei visa apenas ampliar a área de abrangência da Ride, com base no argumento de que existe um conjunto de municípios limítrofes a essa região que apresentam uma forte ligação socioeconômica com o Distrito Federal e não são seus membros originais.

Deixe um comentário