Wanderlei e a incógnita da vice-governadoria

Reprodução

Ao estilo Sargento Aragão (Patriotas), que não quis assumir a vaga de vice-prefeito na primeira eleição de Carlos Amastha (PSB) em 2012, por discordar da formação do governo e romper com o então prefeito eleito, o deputado estadual Wanderlei Barbosa (PHS) pode não tomar posse nesta segunda-feira, 9, como vice-governador para a qual foi eleito no segundo turno da eleição suplementar.

Entretanto, os motivos de Wanderlei são outros. Não há quaisquer diferenças ou arestas a serem aparadas com Mauro Carlesse. Ele ressaltou apenas que, se depender dele, prefere ficar na Assembleia, contribuindo para a governabilidade da nova gestão humanista.

Barbosa enfatizou que a decisão sobre sua posse não será exclusiva dele, mas do grupo político que foi formado para as eleições suplementares. Quanto à possibilidade de se tornar candidato a vice-governador de Carlesse novamente nas eleições de outubro de 2018, o parlamentar avaliou que esta também é uma decisão que cabe ao mesmo grupo.

“Não era meu projeto ser candidato a vice agora, e o fui para contribuir com o grupo e acho que ajudei. Também tenho um mandato de quatro anos na Assembleia. Estamos discutindo tudo isso com o grupo”, reforçou Wanderlei. Caso assuma a vaga de vice-governador, assume sua cadeira na Assembleia Legislativa o suplente Stalin Bucar (PR).

Deixe um comentário