TCE entrega “lista negra” para TRE-TO com políticos que tiveram contas rejeitadas

Políticos e gestores que tiveram suas contas rejeitadas pelo TCE terão dificuldade para registrarem candidaturas

Divulgação

Na segunda-feira, 13, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins, desembargador Marco Villas Boas, recebeu o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Manoel Pires dos Santos, a relação dos políticos e gestores públicos que tiveram suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável e por decisão irrecorrível do órgão competente, em atendimento ao procedimento previsto na Lei 9.504/97.

Nomes conhecidos da política tocantinense consta na referida lista, entre os quais: os deputados estaduais Stálin Bucar (PR), Amélio Cayres (SD) e Júnior Evangelista (PSC); os ex-secretários estaduais José Edmar Brito Miranda, Hebert Brito Barros, Jaime Café, Samuel Braga Bonilha, Sérgio Leão, Télio Leão Ayres; do ex-vice-governador Paulo Sidnei (MDB); o vereador palmense Jucelino Rodrigues (PTC); do ex-deputado federal Leomar Quintanilha; os ex-prefeitos José Santana Neto (PT), de Colinas do Tocantins, e Leonardo Cintra, de Almas, que também presidiu a Associação Tocantinense de Municípios (ATM).

As informações das contas dos gestores vão servir para a análise do pedido de registro de candidatura daqueles que exerceram ou exercem cargo ou função pública e que pretendem disputar as eleições. Villas Boas destacou que a lista serve para uma primeira filtragem dos candidatos inaptos no exercício da função pública. “As contas desaprovadas pelo TCE já revelam a falta de zelo e ética no exercício da função. A Corte Eleitoral analisará e julgará se será o caso ou não do deferimento do registro de candidatura”, explicou.

O presidente do TCE, conselheiro Manoel Pires destacou a importância da participação do cidadão na fiscalização para que façam as melhores escolhas nas urnas, elegendo aqueles que tenham zelo pela administração pública. “Que possamos zerar de uma vez por todas esses maus gestores, esses que não tiveram o devido compromisso com o serviço público, no sentido de que eles possam estar alijados do processo eleitoral e que possamos começar, a partir de então, melhorar a sistematização com relação aos nossos representantes”, alertou.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.