“Precisamos rediscutir o microcrédito e fomentar o pequeno empreendedor”

Eleito vereador de Palmas pelo partido Cidadania, Joatan Silva foi uma das surpresas da eleição desde ano

Joatan Silva foi uma das surpresas das últimas eleições municipais em Palmas. Até então pouco conhecido na cidade, mas com um excelente trabalho social na região sul da capital, ele se elegeu vereador pelo partido Cidadania, após obter 1.653 votos. Surpreendente para alguns, esperado por outros, o certo é que ele será o representante dos palmenses menos favorecidos, a partir de 2021. 

Natural de Porto Nacional, Joatan Silva de Jesus se estabeleceu em Palmas em 1995, acompanhando sua família. Seu pioneirismo inicia-se no Projeto AMA, passa pela função de agente de saúde municipal no Jardim Aureny III e pela presidência de Associação do bairro. Graduou-se em serviço social em 2009 no Ceulp Ulbra. É servidor público efetivo do Estado do Tocantins na área da saúde desde 2013 e, também, concursado pela Secretaria de Cidadania e Justiça desde 2014. Desenvolve as duas funções em razão da compatibilidade dos plantões. 

Por quais razões o Sr. se enveredou pelos caminhos da política?
A minha vida política iniciou-se no movimento comunitário. Em 2016, em razão da minha trajetória de vida e pelo círculo de amizade, me candidatei a vereador em Palmas e obtive 1.055 votos, pelo PPL. Isso foi muito representativo, porque quase não possuía recursos financeiros. Já em 2020, filiado ao Cidadania, consegui me eleger após obter 1.653 votos que, acredito, estar vinculado ao trabalho social prestado na nossa capital. Com a contribuição da militância, da comunidade e dos meus colegas assistentes sociais, os quais agradeço demais, obtivemos êxito. 

Porque o Sr. migrou para o partido Cidadania?
Neste novo formato eleitoral – sem coligações – após analisar todo o contexto entendi que este partido poderia me proporcionar a vitória nessa eleição, quer seja pelos seus princípios estatutários, quer seja pela excelente nominata de vereadores. A aposta foi certeira: conseguimos eleger dois vereadores neste pleito.  

Qual é a prioridade do seu mandato?

Naturalmente, vou trabalhar – como disse na minha campanha – pela disponibilização do microcrédito aos pequenos empreendedores. Há muita gente desempregada, até mesmo em razão da pandemia, e essas pessoas precisam sair da informalidade, montar pequenos negócios ou se empregar novamente. O período pós-pandemia vai ser complicado para todos. O poder executivo tem condições de implantar esta linha de crédito para essas pessoas. Posso dizer que será um dos meus primeiros projetos na Câmara de Palmas. 

Também vou defender os anseios e os direitos dos servidores públicos municipais, com ênfase nos assistentes sociais, psicólogos, entre outros. Vou propor a inserção desses profissionais na política educacional, visto que o índice de evasão escolar é alto. A realidade psicossocial dos alunos muitas vezes é desconhecida. Já existe uma lei federal que trata do tema, mas é necessário legislação municipal que regulamente a matéria. 

Vou destinar emendas parlamentares para projetos sociais, visto que tenho visto muitos jovens se enveredarem para o mundo das drogas, do crime e da prostituição. Essa é uma preocupação minha, na essência. No bairro onde moro, constato com tristeza: muitas crianças que pesei e cuidei enquanto agente de saúde, hoje os atendo atrás das grades. Isso é chocante. Precisamos tentar mudar essa realidade. 

Várias “caras novas” foram eleitas no último dia 15/11 e, muitas delas, gastando poucos recursos, entre os quais, o senhor. Como vai ser, no seu caso, esse gabinete popular e a implantação dessa política comunitária no seu mandato? 
É uma das minhas bandeiras, fortalecendo as associações de moradores para que haja, de forma eficiente, um trabalho em prol da comunidade. Há um contraste social fora do plano diretor da cidade e muitas pessoas em situação de vulnerabilidade social. Elas precisam ser amparadas pelo poder público e isso é inquestionável. 

Seus gastos na campanha chegaram a atingir o teto definido pelo TRE-TO?
Não, longe disso, até porque o fundo partidário era muito pequeno para ser distribuído. Fiz uma campanha modesta, com pés no chão, de muita luta e com base num sólido trabalho social empreendido ao longo dos anos, desde que cheguei em Palmas. Os profissionais da contabilidade já estão elaborando a prestação de contas para ser apresentada, mas posso garantir que os gastos são mínimos. 

Como o Sr. viu a iniciativa do vereador Tiago Andrino – candidato a prefeito do seu grupo derrotado nas últimas eleições – abrir o gabinete para o Sr. e outros vereadores da chapa participem das discussões do orçamento?
Achei extremamente importante e significante, um verdadeiro desprendimento. A ação dele demonstra que há um compromisso social conosco e com a sociedade. Essa atitude abriu uma oportunidade para que nós, novatos, pudéssemos conhecer o orçamento e a lei de diretrizes orçamentárias. 

Além disso, ele abriu a possibilidade, ainda, de fazermos sugestão de emendas para que ele apresente em nosso nome, uma vez que seremos nós que estaremos no exercício do mandato no ano que vem. Foi realmente inovador e o parabenizo-lhe por isso. 

Em relação ao seu posicionamento político, naturalmente o Sr. vai se manter na base oposicionista… Fui eleito numa chapa oposicionista, é natural que me mantenha nesse propósito. É muito cedo para quaisquer definições, mesmo porque ainda sequer fui diplomado pelo Tribunal Eleitoral. Tudo vai ser definido posteriormente, após reuniões e discussões partidárias.  

Em razão do Sr. ser servidor público estadual da saúde, o que pensa em fazer para ajudar a melhorar a saúde pública municipal?
Precisamos fomentar e direcionar recursos para atenção básica, pois tudo começa ali nas unidades de saúde. Se não houver “défict” de profissionais lá na ponta, por exemplo, já desafoga a alta complexidade e o Hospital de referência da nossa cidade, que é o HGP. 

Na minha concepção é necessário fortalecer o sistema de atenção básica, o trabalho preventivo mesmo. A nossa população aumentou e, consequentemente, é necessário aumentar o número de profissionais, mas isso não foi feito a contento. 

Além disso, caso o poder público municipal demonstre interesse em construir um hospital municipal, terá todo meu apoio no parlamento. Considero a ideia muito interessante. 

Espaço aberto para suas considerações…
Estou feliz pela vitória, mas gostaria de parabenizar a iniciativa do Jornal Opção/Tocantins de entrevistar todos os vereadores novatos. Isso contribui coma democracia. Quero agradecer a sociedade palmense pela votação, dizer que não sou vereador da região sul, mas sim de toda a capital. Meu gabinete estará de portas abertas para a população, para demandas e sugestões que melhorem, de fato, a vida em sociedade. 

Meu mandato é fruto de um esforço coletivo e, por isso, agradeço a comunidade do Jardim Aureny III e toda região sul, como também, os companheiros e servidores públicos que acreditaram no projeto. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.