A pouco mais de 15 dias do prazo final das convenções os pré-candidatos ao Senado Ataídes Oliveira (Pros), Mauro Carlesse (Agir), Kátia Abreu (PP) e Professora Dorinha (UB) ainda não sabem com quem vão compor chapa. A vaga de senador compõe a chapa majoritária, do qual fazem parte o candidato a governador e a vice. A legislação estabelece que o candidato ao Senado compõe a chapa proporcional, mas flexibiliza para que cada partido de uma coligação possa lançar candidato individual.

A deputada federal Professora Dorinha (UB) está bem encaminhada para integrar a chapa governista encabeçada pelo governador Wanderlei Barbosa (Republicanos). O nome da deputada é o preferido da base governista. Nos bastidores, a indicação ganha cada vez mais força, mas ainda não está consolidada. No entanto, nem a deputada nem o governador falaram oficialmente sobre o assunto, que já gerou crise interna.

O ex-governador Mauro Carlesse (Agir) pode virar solução para o pré-candidato ao Palácio Araguaia Ronaldo Dimas (PL), que não conseguiu viabilizar a indicação da deputada Professora Dorinha (UB). Pelo menos é que defendem alguns apoiadores de Dimas, que avaliam que Carlesse tem apelo popular em função de sua atuação à frente do Executivo, em que levou obras e benefícios para todo o Estado. Dimas e Carlesse ainda não se pronunciaram sobre indicação de apoiadores de ambos.

O ex-senador Ataídes Oliveira (Pros) se projeta como um pré-candidato ao Senado atrativo. Soma apoio de mais de 800 vereadores, além de prefeitos, vice-prefeitos, líderes comunitários e políticos espalhados em 124 municípios, uma rede poderosa de apoio que pode somar muito ao candidato a governador. O ex-senador garante que tem mantido diálogo com todos os pré-candidatos ao governo do Estado. Ataídes comemora o crescimento que vem alcançando na pré-campanha, o que segundo ele, indica que está no caminho certo.

A senadora Kátia Abreu (PP) ainda não deixou a base do governo Wanderlei Barbosa (Republicanos), mas, ainda que permaneça, é pouco provável que seja a candidata ao Senado. A vaga vem sendo trabalhada para ser ocupada por Professora Dorinha (UB). Antes de ser uma escolha do pré-candidato à reeleição Wanderlei Barbosa (Republicanos), é uma exigência das lideranças da base governista. A ideia ganha a adesão de líderes da base da senadora que avaliam que o recuo pode evitar uma derrota.

Apenas os pré-candidatos Osires Damaso (PSC) e Dr. Luciano do Osvaldo Cruz (DC) já escolheram os nomes que comporão a chapa majoritária ao Senado. A advogada Eula Angelin (DC) foi indicada para compor com Luciano e Damaso terá como parceiro de chapa o treinador de futebol e empresário Vanderlei Luxemburgo (PSB). O pré-candidato do PT, Paulo Mourão, anuncia que o processo de indicação do candidato ao Senado será definido pela federação. A indicação inclui também os partidos aliados, como o Rede, o Solidariedade, o PSOL e o PSB.