Osires Damaso vai de “péssimo” gestor a queridinho do Palácio do Araguaia

Quando candidato à presidência da Assembleia, deputado foi alvo da artilharia de Mauro Carlesse, que agora o elogia por destinar recursos ao Tocantins

Carlesse e Osires: governador já fez duras críticas ao deputado | Fotos: Divulgação

Um dos ditados mais certos é que “em política não há inimizades, apenas adversários”. O que se fala, os xingamentos e impropérios ou mesmo as acusações recíprocas são passageiros, efêmeros por demais. Duram apenas um tempo, depois são esquecidos como se jamais houvessem existido. O algoz de hoje é o parceiro de amanhã e o aliado fiel do presente, pode se tornar o maior crítico num futuro próximo. Essa é uma característica da política nacional. Exemplos não faltam e aqui poder-se-ia citar vários, porém, um dos mais homéricos é o caso de Ciro Gomes, outrora aliado e, posteriormente, inimigo figadal de FHC, Lula e Dilma Rousseff.

Naturalmente, essa lógica não é diferente no Tocantins. Por aqui já se viu Moisés Avelino apoiar Siqueira Campos, num tempo em que o PMDB não houvera rachado, ele havia se desintegrado mesmo. Também já se viu a senadora Kátia Abreu eleger-se na aba e na chapa de Marcelo Miranda e, poucos dias após a posse do governador, se revoltar e declarar guerra ao Palácio Araguaia. Especificamente em Palmas, também já se viu, em 2017, o ex-prefeito Carlos Amastha lançar todas as dúvidas e achincalhes sobre gestão de Marcelo Miranda, para depois receber – de braços abertos em sua chapa de 2018 – a deputada federal Dulce Miranda, esposa de Marcelo, que tentava a reeleição. Amastha perdeu a eleição para o atual governador Mauro Carlesse, mas Dulce foi reeleita e, para todos os efeitos, é a deputada que representa a coligação do ex-prefeito.

Conjecturas e memórias à parte, na semana que passou o governador Carlesse se manifestou, publicamente, para agradecer o específico empenho de quatro parlamentares federais do Tocantins. “Quero agradecer o trabalho e todo o empenho do senador Eduardo Gomes e dos nossos deputados federais Carlos Gaguim, Eli Borges e Osires Damaso. A atuação deles em Brasília, a favor do Tocantins, tem sido decisiva para que possamos ter condições de atender o nosso povo. Desde que o Brasil começou a sentir os efeitos do coronavírus, eles já se posicionaram a favor do nosso Estado e destinaram recursos para combater essa doença que é grave e ameaça a nossa gente”.

De fato, outrora inimigo de 2016, Osires Damaso – aquele mesmo que na disputa pela presidência da Assembleia Legislativa foi classificado por Carlesse como despreparado, mercenário, autoritário, péssimo gestor, entre outros adjetivos pejorativos – agora é o queridinho do Palácio Araguaia. É que recentemente ele destinou aproximadamente R$ 10 milhões – fruto de emendas impositivas, individuais e de bancada – para a área da saúde, especificamente para o combate ao coronavírus.

Acabou a inimizade, as rugas ficaram para trás. Aliás, são como não houvessem existido. Parafraseando o título do filme brasileiro “Tropa de Elite”, o inimigo agora é outro. Ou outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.