Operação Canguçu entra na sua quarta semana de captura aos integrantes do bando que aterrorizou Confresa (MT) no dia nove de abril, sem data para terminar. Balanço aponta que quase dois terços do banco foi capturado. Ao todo 12 supostos integrantes do grupo criminoso foram mortos em confronto e pelo menos dois foram presos.

O último confronto foi na tarde desta segunda-feira, 01, quando um suspeito de atirar contra uma viatura da Polícia Militar foi baleado e socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Em menos de 12 horas três suspeitos foram mortos em confrontos com as forças de segurança. O confronto aconteceu na zona rural de Marianópolis, região oeste do Estado.

Leia mais: Polícia mantém Operação Canguçu para capturar bando de Confresa

Cerca de 350 policiais civis e militares dos estados do Tocantins, Goiás e Mato Grosso mantêm o cerco aos criminosos de Confresa que teriam fugido para o Tocantins, utilizando o rio Araguaia como rota de fuga. Pelo rio Javaés chegaram até ao norte da Ilha do Bananal, onde desembarcaram e tentaram fugir de carro, possivelmente tentando alcançar a rodovia BR-153, a Belém Brasília, mas foram surpreendidos com a presença da polícia que realizava atividade de treinamento na zona rural de Pium. No local se deu o primeiro confronto e o início do cerco que dura até agora.  

Novos confrontos

No final de semana foram registrados vários confrontos. Um suspeito foi morto no sábado, 29, e outros dois no domingo, 30, durante confronto com a polícia. Os confrontos aconteceram nos municípios de Pium, Marianópolis e Araguacema.

Estimativa da política é que o ataque em Confresa envolveu cerca de 20 criminosos. De acordo com estes dados, ainda estariam na mata e cada vez mais cercados, seis suspeitos. A determinação é que o cerco seja mantido até a captura do último integrante do bando.

Na sexta-feira, 29, os governadores do Tocantins, Wanderlei Barbosa (Republicanos); de Goiás, Ronaldo Caiado (UB) e do Mato Grosso, Mauro Mendes (UB) fizeram uma visita à base da operação conjunta, para apoiar o trabalho que vem sendo desenvolvido na captura dos suspeitos de integrar o bando de Confresa.