Liminar do STJ concede liberdade a Junior Miranda

Irmão do governador Marcelo Miranda e mais três investigados foram libertados

Em primeiro plano, o secretário de Infraestrutura  . Logo atrás, Junior Miranda

Em primeiro plano, o secretário de Infraestrutura Sérgio Leão; logo atrás, Junior Miranda

Dock Jr.

Na sexta-feira (2/12), o ministro do Tribunal de Justiça (STJ) Mauro Campbell revogou a prisão de quatro dos sete presos na Operação Reis do Gado, da Polícia Federal, que investiga corrupção e lavagem de dinheiro no Tocantins entre os anos de 2005 e 2012.

Os liberados são: Sérgio Leão (Secretário de Infraestrutura do Tocantins), José Edmar Brito Miranda Júnior (irmão do governador Marcelo Miranda), Carlos Gomes Mundim (Diretor da Secretaria de Educação) e Alex Câmara (empresário). A prisão dos sete investigados se deu na segunda-feira (28/11).

Foram oito mandados de prisão temporária, 24 de condução coercitiva e 76 de busca e apreensão nas cidades de Palmas e Araguaína (TO), Goiânia (GO), Brasília (DF), Caraguatatuba (SP), e nos municípios de Canaã dos Carajás, Redenção, Santa Maria, São Felix do Xingu, no Pará. Segundo a PF, os mandados foram expedidos pelo STJ.

O ex-governador Siqueira Campos foi conduzido coercitivamente. O chefe da Delegacia de Repressão e Combate ao Crime Organizado, Cleyber Malta, explicou que ele foi levado para prestar depoimento porque foi verificado que algumas empresas que estabeleceram contratos em 1998, na gestão dele, para a construção de pontes, permaneceram executando serviços em várias gestões.

Todos os bens de Marcelo Miranda, do pai e de Junior Miranda foram bloqueados. Além disso, serão investigadas as prestações de conta no Imposto de Renda de todos eles. Segundo a PF, os registros declarados estão em desacordo com o que foi movimentado em conta.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.