HGP realiza, com total sucesso, 1º transplante de córnea do serviço público de saúde no Estado

Nelzir Silva e dona Raimunda Pereira: cirurgia de transplante de córnea foi sucesso e é marco na saúde no Estado

Nelzir Silva e dona Raimunda Pereira: cirurgia de transplante de córnea foi sucesso e é marco na saúde no Estado

Raimunda da Silva Pereira, de 81 anos, ganhou presente de Natal antecipado que mudou sua vida e marcou a história do Tocantins. Ela foi a beneficiária do primeiro transplante de córnea realizado no Hospital Geral de Palmas (HGP), que teve o Banco de Olhos do Tocantins habilitado pelo Ministério da Saúde e está apto a fazer captação e transplantes de córnea. O procedimento ocorreu na quinta-feira, 15, e foi considerado um sucesso pela equipe multiprofissional.

De acordo com a médica oftalmologista Ana Beatriz Dias, a cirurgia “foi um marco para a oftalmologia do Estado, que realiza seu primeiro transplante em hospital público, sem nenhuma intercorrência. A paciente respondeu de acordo com o esperado e estamos muito felizes por fazer parte disso”, afirmou, acrescentando que o procedimento foi realizado em parceria com o oftalmologista Jorge Mendes, que faz parte da equipe de transplantes do HGP. O servidor público Nelzir Silva, filho de dona Raimunda, também comemorou: “Nem temos palavras para expressar nossa alegria. Minha mãe sentia muitas dores e, até então, esse tipo de procedimento só era feito em outros Estados, com uma fila grande de espera. Conseguir fazer isso aqui em Palmas e voltar pra casa no mesmo dia é muito bom”, declarou.

Nelzir conta que, há muito tempo, a mãe sofria com problemas de visão e chegou a passar por uma cirurgia de catarata em fevereiro deste ano, mas que tempos depois passou a sentir fortes dores nos olhos e, após avaliação de especialistas, foi recomendado o transplante de córnea. “Em outubro deste ano, fiquei sabendo que o HGP estava implantando um Banco de Olhos e procurei a unidade. No dia 16 de novembro, conseguimos uma consulta com a doutora Núbia e ela constatou um edema bastante evoluído nos olhos da minha mãe e, a partir daí, passou a atendê-la todas as quartas-feiras, dias de seu plantão. No dia 30 de novembro, minha mãe foi inscrita na lista de espera e na manhã do dia 15, a doutora Ana Beatriz me ligou avisando que possivelmente seria feito o transplante. Minha mãe ficou preparada para a cirurgia o dia todo, às 18h30 demos entrada no hospital e às 23 horas já estávamos retornando para casa”, relatou.

A alta imediata, segundo a oftalmologista Ana Beatriz, faz parte da rotina deste tipo de procedimento, quando tudo ocorre dentro do esperado. “O transplante de córnea permite este tipo de conduta, quando o paciente tem uma boa aceitação, e foi o caso de dona Raimunda. A córnea é a parte mais anterior do olho, onde fica a parte colorida, são feitas a retirada desta parte doente e a implantação da parte de um doador morto. Para a captação da córnea no doador, é recomendado que seja feito até seis horas após a parada do coração. Após a coleta, o órgão pode ser preservado por até 15 dias, tempo suficiente para a realização de exames de compatibilidade entre doador e receptor”, explicou.

O secretário de Estado da Saúde, Marcos Musafir, destacou que o início desse serviço no Tocantins é resultado do esforço de toda equipe. “A equipe não descansou um só momento, enquanto não conseguiu a habilitação do Banco de Olhos, estamos todos comemorando essa conquista que beneficia nossos pacientes”, disse.

Deixe um comentário