Gleydson Nato quer redução de prazo para duplicação da BR-153

Líder do governo lamenta que os prefeitos da região impactada pela obra não foram convidados para audiência que discutiu a concessão

Gleydson Nato cobra agilidade em obra | Foto: Clayton Crystus / Aleto

Após a realização de audiência pública na terça-feira, 3, em Gurupi, sobre a nova concessão da rodovia BR-153, o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Gleydson Nato (PHS), utilizou a tribuna do parlamento, na sessão de quarta-feira, 4, para arguir o tempo de conclusão da duplicação da BR-153, no trecho de 624 quilômetros que liga Aliança (TO) à Anápolis (GO). 

As informações repassadas pelos técnicos na audiência geraram descontentamento na população, devido a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) informar que a duplicação do trecho no Tocantins só ocorreria 20 anos após a assinatura do contrato de concessão, além do início da cobrança do pedágio.

O deputado humanista discordou do longo prazo proposto pela ANTT, solicitou redução do tempo para que o início das obras ocorra logo após a assinatura do contrato de concessão da rodovia. Segundo Nato, o governador Mauro Carlesse (DEM) também já solicitou ao Ministro da Infraestrutura Tarciso Gomes de Freitas, ao diretor geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mário Rodrigues Júnior e à bancada federal do Tocantins, a redução dos prazos do início da duplicação.

O parlamentar finalizou seu discurso solicitando a união de todos os deputados estaduais em relação a esse tema para que, mobilizado, o Parlamento Estadual convença o Governo Federal a alterar os prazos propostos. “Que todos possam interceder juntos com os nossos deputados federais e senadores. Essa é uma luta de todos nós, tocantinenses, esse trecho da BR-153 é um trecho perigoso, que já tirou muitas vidas por acidentes, não podemos aceitar essa situação”, disse o deputado. 

O líder do governo lamentou, ainda, que os prefeitos da região impactada não foram convidados para audiência. “Os municípios não foram ouvidos, os representantes legais nem estavam presentes, não é possível uma audiência pública ser feita da forma que foi feita, sem os municípios que fazem parte da duplicação da BR 153, faltou divulgação e convites aos interessados”, afirmou o parlamentar.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.