Esquema de Cachoeira na Prefeitura de Palmas tem a primeira condenação

Mulher do ex-prefeito Raul Filho teria funcionária laranja para receber propina advinda do esquema envolvendo o bicheiro

Deputada Solange Dualibe

Deputada Solange Dualibe

Dock Jr. 

O juiz da terceira vara criminal de Palmas, Rafael Gonçalves de Paula, homologou a transação penal envolvendo o MP e Rosilda Rodrigues dos Santos, apontada como funcionária “laranja” da ex-deputada Solange Duailibe (PR) – esposa do ex-prefeito de Palmas e candidato ao mesmo cargo em 2016, Raul Filho (PR).

Rosilda foi acusada por ser titular da conta bancária que recebia as propinas da suposta organização criminosa comandada pelo contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, conforme a denúncia do Ministério Público do Estado do Tocantins (MPTO).

Com a decisão homologatória, a ex-assessora da ex-deputada estadual foi considerada culpada, contudo, devido ao acordo com o Ministério Público, teve a pena de detenção alterada por pena restritiva de direitos e multa.

Em dezembro de 2013, o procurador de Justiça, Clenan Renaut de Melo Pereira denunciou o ex-prefeito Raul Filho; Carlos Cachoeira; Solange Duailibe; o ex-secretário municipal de Governo Pedro Duailibe Sobrinho; a ex-presidente da Comissão de Licitação Kenya Tavares Duailibe e mais nove pessoas – entre as quais Rosilda – por supostas fraudes em contratos entre a Prefeitura de Palmas e a empresa Delta Construções.

Segundo apurou e denunciou o MP, uma quadrilha teria sido mantida ao longo dos dois mandatos do ex-prefeito visando dar aparência de legalidade aos contratos que favoreceram a Delta Construções no valor total de R$ 116.980.831,79. Além da formação de quadrilha, a denúncia relaciona os crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, apropriação indébita, dispensa de licitação fora das hipóteses legais, fraude à licitação e falsidade ideológica. Esse esquema tinha a primeira-dama Solange Duailibe como uma das líderes e cabia a ela encontrar pessoas humildes para receber, na condição de “laranjas”, as supostas propinas provenientes da organização criminosa. Assim teria ocorrido com Rosilda Rodrigues, ex-servidora de Solange e moradora da zona rural de Araguaçu. Em três contas bancárias, ela recebeu o valor total de R$ 913.473,36, movimentado por Pedro Duailibe Sobrinho, ex-secretário de Governo de Raul e irmão de Solange.

A verdade é que considerando que a “laranja” do suposto esquema foi condenada, é natural que os demais envolvidos não tenham melhor sorte e também recebam decisões desfavoráveis. O ex-prefeito de Palmas, Raul Filho – que comandou a prefeitura entre 2005 e 2012 – além dos outros réus, Solange Duailibe, Pedro Duailibe, Sílvio Roberto Moraes, Luiz Marques Couto, Kenya Tavares Duailibe, Jânio Washington, Jair Corrêa e Adjair de Lima já foram intimados para as audiências de instrução e julgamento que serão realizadas no início de 2017.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.