Carlesse quer gestão municipalista

Novo governador assume prometendo continuar e incrementar ações positivas em andamento

Governador do Tocantins, Mauro Carlesse, com auxiliares: “Vamos fazer política para melhorar a vida das pessoas”

Ao assumir o governo do To­can­tins, na sessão solene realizada na terça-feira, 27, na Assembleia Legislativa do Estado (Aleto), Mau­ro Carlesse (PHS) enfatizou que a partir de agora, inicia-se a “Era do Municipalismo”. Ele dis­se que vai dar continuidade a to­das as ações positivas em andamento. “Elas serão mantidas e in­cre­mentadas”, afirmou, destacando o aspecto municipalista da sua ges­tão, como forma de integrar e pro­mover ações que venham ao en­contro das demandas da população tocantinense.

“O governo vai chegar aos mu­nicípios por meio do municipalismo integrado, da união de to­dos, sem olhar a cor partidária. E, para isso, faremos políticas para me­lhorar a vida das pessoas, combater a violência e promover a saú­de”, salientou.

Na quarta-feira, 28, em seu pri­meiro dia de trabalho, Mauro Car­lesse reuniu o secretariado pa­ra traçar as primeiras ações da ges­tão. “A nossa prioridade é le­van­tar a situação de cada pasta o mais rapidamente possível e traçar ações para que o Estado não pa­re”, destacou, citando a saúde, a se­gurança pública e a folha de pa­ga­mento do funcionalismo como se­tores prioritários que precisam de agilidade para que a população não seja prejudicada.

O governador orientou o Co­man­do da Polícia Militar e a pasta da Segurança Pública a fazerem um levantamento das demandas e de­terminou que começassem a agir para transmitir a sensação de se­gurança à população de todo o Es­tado. Sobre o duodécimo dos po­deres, o governador sustentou que a sua gestão já está tratando des­sa questão e a expectativa é de que todas as obrigações sejam cum­pridas. “Vai ser pago e o que nós queremos é colocar todas as con­tas do governo em dia”, assegurou.

Quanto aos servidores, ele foi en­fático: “Precisamos realizar um re­enquadramento para nos adequarmos à Lei de Responsabilida­de Fiscal, mas quem trabalha certamente terá seu emprego garantido, vamos valorizar o servidor que trabalha”, afirmou.

A operacionalização das medidas se concretizou com a publicação do Diário Oficial de quarta-fei­ra, 28. O governador ordenou um corte de aproximadamente R$ 25 milhões no orçamento. Áreas im­portantes, como saúde e educação foram afetadas. A saúde vai per­der quase R$ 6 milhões e a edu­cação R$ 2,5 milhões em relação ao que estava previsto inicialmente.

No decreto publicado, Carles­se também fez um corte de R$ 15,8 milhões no Tesouro Direto. Es­ta área abrange orçamentos de di­versas secretarias, e exatamente por isso, não é possível estimar o im­pacto em cada uma. Já as emendas parlamentares também fo­ram alvo do de­creto: sofreram um corte de R$ 446 mil.

Já na quinta-feira, 29, o governador interino anunciou mais um nome do primeiro escalão: João Oliveira, ex-deputado federal e ex-vice-governador do Estado. Oliveira exercerá o cargo de secretário extraordinário de Assuntos Parlamentares.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.