Neste ano, a Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins), considerada a maior feira de tecnologia agropecuária da região norte do País, promete superar as edições anteriores. A feira se realizará a partir da terça-feira, 16, e segue até a sexta-feira, no Parque Agrotecnológico Engenheiro Agrônomo Mauro Medanha, em Palmas. O evento contará com 850 vitrines e espera receber um público de 180 mil pessoas, com estimativa de movimentar cerca de R$ 2,5 bilhões em negócios.

Os organizadores apontam um aumento de 25% de novos expositores para esta edição, em relação ao ano passado. Os expositores são empresas de maquinários, bancos com linhas de créditos, concessionárias de veículos voltados para o campo, institutos de pesquisas, que apresentarão as últimas novidades em produtos, serviços e tecnologias voltados ao agronegócio.

O governador Wanderlei Barbosa (Republicanos) aponta que a realização da Agrotins destaca a promoção e o desenvolvimento do setor agropecuário no Estado do Tocantins. “A Agrotins possibilita a potencialização do agronegócio, setor em franca expansão em nosso território. A feira vem como forma de apoiar e divulgar as ações de pesquisa, adaptação, validação, divulgação e transferência de tecnologias ao setor produtivo, respeitando a legislação vigente, por isso o tema deste ano é ‘Compliance no Agro’”, enfatiza o governador.

O termo “compliance no agro” nada mais é que o conjunto de disciplinas para fazer cumprir as normas legais e regulamentares, as políticas e as diretrizes estabelecidas para o negócio e para as atividades da instituição ou empresa, bem como evitar, detectar e tratar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer. No Brasil, o agronegócio é um dos pioneiros na criação de uma medida oficial para incentivar as empresas a desenvolverem uma cultura efetiva de “compliance” – palavra inglesa com sentido equivalente a “conformidade”. A oportunidade surgiu com a criação do selo Agro+Integridade, instituído pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no final de 2017, para empresas que desenvolvem boas práticas de gestão de integridade, ética e sustentabilidade.

Os organizadores revelam que a novidade desta edição é a aplicação da política de carbono neutro, que reduzirá a emissão de gases poluentes durante o evento. A feira pretende neutralizar a emissão de carbono por meio do plantio de árvores, já que elas capturam os gases poluentes da atmosfera durante a fotossíntese. Essa iniciativa tornará o Tocantins o primeiro Estado do Brasil a realizar uma feira agrotecnológica com essa política. A ação é importante, porque as emissões de dióxido de carbono produzem efeito estufa e contribuem para a poluição e eventos climáticos extremos.

O empresário Rafael Braudes Naves conta que espera ansiosamente pela realização do evento. Da área de consultoria e desenvolvimento de projetos no ramo do agronegócio, ele participa da Agrotins há mais de 10 anos, até então como visitante. “Eu e minha irmã éramos levados para a feira por meio da Seagro, saindo de Pedro Afonso, o que nos ajudou na criação da nossa empresa”, afirmou Rafael. Para este ano, os planos são mais ousados, já que será a primeira vez que ele participará da feira como expositor. “A Agrotins é um cartão de visita do Tocantins, em relação às tecnologias da agricultura e pecuária. Este ano, a nossa expectativa é de um faturamento de aproximadamente R$ 1 milhão”, mencionou o empresário.

Um dos coordenadores da feira, Fernando Garcia, comenta que a Agrotins, em sua 23ª edição, traz as inovações tecnológicas para que o setor agropecuário se torne mais eficiente, com alta produtividade sustentável, tanto da agricultura quanto da pecuária. “Grandes empresas agropecuárias estarão apresentando essas novidades na feira, mostrando as tecnologias de produção e estrutura. E, desde já, aproveitamos para convidar, produtores e população em geral a participarem desta grande feira agrotecnológica, a maior da região Norte do País”, recomenda.

Realização
A Agrotins Compliance no Agro é uma realização do governo do Tocantins, por meio da Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro), da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt) e da Tocantins Parcerias, em conjunto com empresas, instituições e órgãos públicos, de pesquisas e educacionais, entre outros.