Agronegócio do Tocantins ganha destaque nacional

Governador Marcelo Miranda: aposta no agro para alavancar a economia | Foto: Divulgação

No ano de 2017, o Estado do To­cantins ocupou o 11º lugar dentre os Estados brasileiros que mais ex­pandiram no setor do agronegócio, ficando acima da média nacional em termos de crescimento do Pro­duto Interno Bruto (PIB). Re­gi­ões que anteriormente registravam pouco peso na soma total dos bens e serviços do País, tiveram um impulso maior em relação aos Estados industrializados. Em comparação com as regiões em que foram apontados aumentos no PIB, o Tocantins figurou com cres­cimento de 2,7%, ficando à frente de Estados como Pará (2,1%), Acre (1,9%), Alagoas (1,6%), Ceará (1,3%), Rondônia (0,70%), Bahia (0,30%), Goiás (0,1%) e Amapá (0,1%).

Segundo a Secretaria de Es­ta­do do Planejamento e Orçamen­to, para 2018, a previsão do PIB tocantinense é de aproximadamente R$ 32,3 bilhões. Dados de 2015 do Instituto Brasileiro de Geo­grafia e Estatística (IBGE) apontavam uma taxa de crescimento acumulado no Tocantins, no período de 2010 a 2015 de 23,8%, perdendo apenas para Mato Grosso. “A crise econômica que afetou o país, Estados muito industrializados tenderam a perder participação no PIB devido ao enfraquecimento do setor in­dustrial. Neste caso, Estados com forte identidade na agropecuária, como o Tocantins, têm segurado o valor do PIB”, ressaltou a economista Grazielle Azevedo Evange­lista, servidora da Seplan.

A pujança do agronegócio do Tocantins se deve ao arrojo de seu em­presariado rural, mas as políticas governamentais têm papel relevante nesse contexto. O governo estadual tem enfatizado o desenvolvimento e modernização do agronegócio como uma das estratégias para impulsionar a economia do Estado. Nesse sentido, o governador Marcelo Miran­da (MDB) lançou, em setembro do ano passado, o projeto To­can­tins Agro, que prevê a construção de sete barragens em rios do Sudoeste, que vão perenizar uma área de várzea tropical de 300 mil hectares.

O governo do Tocantins previa investir US$ 165 milhões na construção da primeira dessas bar­ragens, sendo US$ 99 milhões de recursos do Banco Interameri­ca­no de Desenvolvimento e US$ 66 milhões de recursos próprios pa­ra viabilizar uma área de 26 mil hec­tares. O restante da área, de 274 mil hectares, será ofertado na forma de concessão ou Parceria Público Privada (PPP). O sistema vai possibilitar a colheita de até duas safras e meia/ano.

No ano passado, Marcelo Miranda liderou missão oficial ao Japão, justamente para buscar parceiros e investidores. “O Brasil passa por um momento de transição, e sob a liderança do presidente Michel Temer estamos vendo a economia se recuperar, basta olhar os indicadores. O Tocantins também passa por um novo momento, pois já estamos com nossa infraestrutura implantada e agora temos condições de nos colocarmos como um grande produtor de alimentos para o mundo”, afirmou o governador na oportunidade. l

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.