Projeto Investe Turismo aplicará R$ 1,3 milhão no Estado

“Quem faz a maior propaganda de um roteiro turístico é o turista”, afirma diretor-superintendente do Sebrae Goiás

Ao todo, 158 municípios brasileiros serão beneficiados com as ações do programa, apresentado em Goiás na quinta-feira, 5 | Foto: Reprodução

Goiás tem atraído cada vez mais visitantes de todos os cantos do Brasil e do mundo. Seja para um passeio pelo Cerrado goiano, com uma mistura de história, natureza e cultura, como na cidade de Pirenópolis; ou em uma caminhada pelas paisagens exuberantes, repletas de cachoeiras e trilhas, no município de Alto Paraíso,por exemplo; o fato é que o Estado tem muito a oferecer no setor de turismo.

Nesse sentido, o governo federal, por meio do Ministério do Turismo, desenvolveu o Projeto Investe Turismo, em pareceria com os governos estaduais, Sebrae e Embratur. Ao todo, 158 municípios brasileiros serão beneficiados com as ações do programa, apresentado em Goiás na quinta-feira, 5, durante seminário na capital. O Estado receberá um investimento de R$ 1,3 milhão para fomentar turismo, em duas das 30 rotas do país que compõem o programa.

O Investe Turismo busca promover a convergência de ações e investimentos, com o intuito de acelerar o desenvolvimento, gerar empregos e transformar destinos. Esta parceria entre setor público e iniciativa privada terá um investimento inicial de R$ 200 milhões oriundos do Sebrae. Além disso, funcionará por meio da gestão compartilhada entre o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Ministério do Turismo e a Embratur.

O principal objetivo do programa é fortalecer o turismo no Estado de Goiás, integrando destinos e posicionando as rotas no cenário nacional. Para tanto, a iniciativa utilizará o conceito de Destinos Turísticos Inteligentes (DTI), a fim de promover o fortalecimento da governança local; aprimoramento da inovação e tecnologia; melhoria da gestão empresarial; e acesso a mercados.

Em Goiás foram selecionadas duas rotas.A primeira engloba Goiânia, Cidade de Goiás e Pirenópolis, e foi intitulada “Rota Caminho de Cora”. Já a segunda, chamada de ‘Rota Chapada dos veadeiros’, engloba os municípios de Alto Paraíso de Goiás, São Jorge e Cavalcante.

De acordo com o ministro do turismo, Marcelo Álvaro Antônio, os critérios utilizados para escolher todas as rotas que farão parte do programa basearam-se em padrões que analisaram se o local já contou com divulgação em feiras nacionais e internacionais, o número de turistas estrangeiros que frequentaram essas rotas, entre outros pontos. Ele salienta que todos esses critérios foram discutidos com as secretarias de cada Estado, e aqui em Goiás foi da mesma forma.

Durante a apresentação do seminário foi explicado, também, que as rotas escolhidas precisariam estar no Mapa Brasileiro do Turismo 2018, quando inseridas nas categorias A, B ou C. Além disso, cada unidade federativa foi contemplada com apenas uma rota. Excetuaram-se os Estados com Patrimônio Cultural Mundial reconhecidos pela Unesco, os quais poderiam contar com duas rotas, que foi o caso de Goiás.

“Pegamos um país com o orçamento comprometido, R$ 140 bilhões de déficit para o próximo ano, além disso, precisa ser respeitada a Lei de Responsabilidade Fiscal, e por isso, os orçamentos dos ministérios sofreram contingenciamentos significativos. Estamos trabalhando com criatividade, usando muitas parcerias com a iniciativa privada, para que consigamos, de uma forma geral, estruturar o Turismo no Brasil. Portanto, é muita criatividade em um momento de pouco recurso”, declarou Marcelo.

O ministro reiterou que um dos aspectos que considera mais importantes no Investe Turismo é o estudo de viabilidade desenvolvido pelo Sebrae. “O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) faz estudos de viabilidade de investimentos em empresas de pequeno, médio e grande porte, entendendo que em cada uma dessas rotas, se cabe um resort, um hotel, um restaurante”.

E finalizou: “Esses estudos prontos nós levamos por meio do ministério e da Embratur para as feiras de investimentos, tanto nacionais, quanto internacionais, e ainda com a possibilidade das linhas de crédito oferecidas pelo fundo Fungetur, do ministério do Turismo”.

Já governador deGoiás, Ronaldo Caiado, ressaltou a importância do turismo para Goiás. “Estive na Chapada dos Veadeiros e não vi ninguém falando português, eram europeus, americanose pessoas da América Latina. É impressionante o quanto essas pessoas estão vindo conhecer essas belezas do Cerrado, dos nossos rios, cachoeiras, os locais da rota Cora Coralina, Caldas Novas, enfim, são vários os pontos turísticos em Goiás”.

O governador pontuou: “O que o ministro está nos trazendo é uma profissionalização, é estruturar o turismo no Brasil, além daquela coisa temporária, de uma festa só”. Caiado também enalteceu a participação do Sebrae no Investe Turismo:“Nós temos agora o Sebrae, que está elaborando todo um projeto, vendo o que é necessário. Por exemplo, para se fazer o caminho Cora Coralina precisa-se de hostels, pontos de acolhimento, uma área coberta com telefonia ou sinal de internet, precisa de segurança para as pessoas que vão fazer o passeio, nesse sentido, o estudo é de suma importância”.

O governador ressaltou que a cultura do turismo precisa ser mais impregnada na população goiana, e afirmou:“Temos que entender que o turismo não é algo acessório, pelo contrário, é o que mais gera empregos e renda. Esse evento hoje é uma importância ímpar para Goiânia”.

O diretor técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick, por sua vez, lembrou que a região Centro-Oeste conta com inúmeros diferenciais. “O local combina, ao mesmo tempo, o símbolo do modernismo arquitetônico, com um bioma rico e diversa vida selvagem”. Bruno reiterou ainda, que o Programa Investe Turismo atuará no fortalecimento desse produto, tendo em vista a localização estratégica.

Durante a apresentação do projeto, foi anunciado que as ações do Investe Turismo já estão em execução no Estado. Uma delas é a elaboração do Diagnóstico de Turismo Inteligente, cujo objetivo é identificar o estágio que os cinco destinos goianos encontram-se em relação ao uso de tecnologias da informação e do desenvolvimento turístico sustentável.

Segundo o diretor-superintendente do Sebrae Goiás, Derly Fialho, o turismo só se consolida e se perpetua no território, e se torna uma referência nacional e internacional quando o turista conta sobre a experiência. “Uma experiência agradável, que atendeu às expectativas, que todos os serviços lhe foram prestados com muita dedicação pelos operadores, a experiência gastronômica, hotelaria, artesanato, espaço natural e local demarcado”, disse.

Sobre a ação do Sebrae no Investe Turismo, Derly afirmou: “Entramos no projeto com essa missão, de preparar os operadores de estruturas turísticas para encantarem turistas. Só assim nós seremos capazes de dar concretude e longevidade a essas rotas turísticas, e torná-las para os operadores um negócio rentável e viável”.

“Sempre digo que a promoção do turismo não se dá só pela revista da companhia aérea, em que está inserido o roteiro, não se dá só pelo marketing, por uma feira internacional em que se apresenta o roteiro.Quem faz a maior propaganda de um roteiro turístico é o turista, que quando retorna daquela experiência, conta primeiramente para os seus familiares, amigos, parentes, e às vezes passa meses e anos repetindo aquela história da viagem que ele fez. Portanto, o maior divulgador e promotor é o próprio turista, então ele tem que sair da rota turística encantado”, concluiu.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.