Ideb confirma Goiás com maior avanço na educação

Indicador da qualidade do ensino no Brasil demonstra evolução no rendimento escolar após quatro anos de estabilidade no País

Estagnado há anos, o ensino médio do País conseguiu alcançar o maior crescimento da história no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) registrado em 2019. O resultado divulgado na última terça-feira, 16, foi motivo para educadores e alunos goianos comemorarem. Goiás teve a melhor média com 4,8 pontos, maior que a média nacional que foi de 4,2.

A estudante Camille Andrade, de 17 anos, é o exemplo do que significa esse avanço alcançado pela educação goiana. A jovem é aluna da Escola Estadual Jardim América e sonha em cursar medicina. Apesar de sempre ter estudado em instituições públicas, ela não se sente menos preparada do que estudantes matriculados em colégios particulares.

Estudante Camille Andrade sonha em cursar medicina | Foto: Reprodução

“Quando eu vim para essa escola eu imaginei que seria bom, mas não sabia que havia tanta colaboração dos professores e colegas para a minha formação. Aqui tem diversos meios de ensino, para que todos aprendam o conteúdo de todas as formas”, relata a jovem Camille. 

A percepção da estudante é reflexo da estratégia que a educação estadual vem traçando a fim de alavancar os resultados na formação dos alunos. “Nós não temos um perfil único. São alunos que vem de diversas regiões com perfis diversos. Então, primeiramente, temos que ter consciência de quem são os nossos alunos. Atender individualmente. Atendemos cada um em sua necessidade. A partir disso fazemos nosso processo pedagógico”, aponta a coordenadora pedagógica da Escola Estadual Jardim América, Sandra Oliveira.

A coordenadora explica que além de promover um ensino plural, o bom resultado parte também do diálogo efetivo entre equipe de direção, coordenação, professores e alunos. “Também temos uma equipe de professores excelentes, todos formados, boa parte com mestrado e doutorado. Conseguimos deles um compromisso, não só com a escola, mas com a educação pública.”

Pablo Borges é um dos professores que compõe essa equipe. Ele dá aulas na rede estadual há 10 anos e possui mestrado. “Eu me sinto incentivado a me qualificar para dar aula no ensino público. Temos essa autonomia de procurar o crescimento. São muitos professores que  lecionam aqui e em outras grandes escolas particulares. O que demonstra que a qualidade se iguala”, enfatiza.

O professor avalia que o bom momento da educação goiana é uma soma de fatores, passa pela formação dos educadores, a estrutura, organização e programas que ampliam a aprendizagem. “Estamos passando por um momento em que o Estado está investindo bastante para melhorar o ensino. Desde o ano passado tivemos alguns programas que ajudaram os alunos a se preparar”, diz. 

A boa nota do Ideb também é reflexo de uma estratégia de ampliar as aulas de Português e Matemática na grade da rede estadual. Essas duas matérias compõe o  Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), antiga Prova Brasil, que está incluso no cálculo do Ideb.

Osvany Gundin | Foto: Divulgação/Seduc

“Eu diria que estamos trabalhando para superar um gargalo. O Ensino Médio é onde o estudante está ingressando no mercado de trabalho, outras vezes são desmotivado por fatores diversos. Mas estamos superando por meio do trabalho realizado pelas unidades escolares, pelos professores, diretores, enfim, em todas instâncias”, indica a superintendente de Ensino Médio da Secretaria Estadual de Educação, Osvany Gundin.

A evolução que a educação goiana alcançou nas notas do Ideb é uma somatória de esforços que acabam por refletir na formação dos estudantes, como a Camille. “Eu tenho certeza de que aprendi muito aqui, graças aos professores e todos que trabalham aqui. Meu ensino vai me levar até onde eu quiser.”

Resultado comemorado no Estado

“Vocês hoje levantaram a bandeira da educação no Brasil”, declarou o governador Ronaldo Caiado, referindo-se à rede de ensino goiana. O trabalho desenvolvido pela comunidade escolar e o empenho dos alunos fizeram de Goiás a única unidade da Federação a atingir as metas individuais do ensino médio no Ideb. “As melhores escolas públicas do país estão em Goiás. Agora queremos chegar na nota 5”, projetou, ao lado da primeira-dama e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais, Gracinha Caiado.

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, reconheceu o pioneirismo goiano. “Está no caminho certo, continue assim e teremos sucesso na educação”, disse, em vídeo, parabenizando o governador e a secretária da Educação, Fátima Gavioli. 

Os dados referentes a 2019 levaram em conta a matrícula de 7,5 milhões alunos em 28,8 mil escolas de todo o Brasil. O Ideb, criado a partir de decreto federal em 2007, é divulgado a cada dois anos.

Em relação ao Ideb do ensino médio, Goiás puxa a lista dos que apresentaram melhor desempenho, superando, inclusive, estados do Sul e Sudeste, como Espírito Santo, São Paulo e Paraná. Quando se analisam apenas os dados da rede pública goiana, a nota é de 4,7, superior à meta estipulada de 4,4. Em Goiás, mais de 82% das matrículas do ensino médio são da rede estadual, de acordo com os dados de 2019.

A titular da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) celebrou as metas atingidas e informou que secretários de pelo menos três Estados já manifestaram interesse em conhecer de perto a gestão goiana. Sobre o futuro, o MEC, responsável pelos índices, projeta que o Estado poderá ser o primeiro a atingir nota 5 no próximo Ideb.

“O que quero é crescer. Então, saímos de 4,3 [resultado de 2017] para 4,7 e temos que caminhar agora para chegar ao bendito 5”, relatou a secretária. “Isso exige empenho, dedicação e abnegação. Temos de nos envolver muito mais. Ninguém vai 

Mais que alcançar a nota 5 no ensino médio, é uma meta do Governo de Goiás avançar também no ensino fundamental. “A política pública tem que ser uma só”, observou Gavioli.

Para isso, Caiado revelou que o Estado pretende desenvolver parcerias com os prefeitos, uma vez que a primeira fase desse ensino é uma responsabilidade dos municípios. Segundo relatou, a chegada de novos prefeitos, em virtude das eleições, vai auxiliar na construção do “conceito de não segmentarmos mais a educação”. Também revelou o desejo de gerir a área de forma compartilhada em todos os âmbitos, desde o ensino infantil até o superior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.