Escolha é entre o velho obreirismo de Iris e o moderno resgate da cidadania de Vanderlan

Há semelhanças entre o que os dois candidatos propõem, mas também há diferenças, e a principal delas é a visão de mundo e a prática política

Iris Rezende e Vanderlan Cardoso | Foto: Divulgação

Iris Rezende e Vanderlan Cardoso | Foto: Divulgação

Cezar Santos

Passado o primeiro turno da eleição municipal, o eleitor goianiense ficou com duas opções para a Prefeitura de Goiânia: Iris Rezende, do PMDB, e Vanderlan Cardoso, do PSB. Será um deles o próximo prefeito de Goiânia, a autoridade máxima do município, responsável por executar as ações que impactam diretamente na qualidade de vida, das mais simples, como limpeza das ruas, até as mais complexas, como, em conjunto com a renovada — mas nem tanto — Câmara de Vereadores, fazer vigorar leis que podem melhorar (ou piorar) a vida de cada um de nós no presente e no futuro.

O que está em jogo, e que caberá ao eleitor definir, é o que será melhor para os goianienses entre duas formas de ver o mundo, de lidar com as transformações impostas pela modernidade — principalmente pela tecnologia —e, no limite, de administrar a cidade e de lidar com suas imensas diferenças e demandas, resolvendo-as da melhor forma possível.
As propostas de ambos os candidatos estão relacionadas mais à frente. Mas é preciso observar que propostas para constar em programas de governo são letras frias no papel. Podem ser definidas em pesquisas, embaladas em design atrativos, com cores e quadros coloridos. A questão é: como lidar com elas e cumpri-las de fato, em favor dos munícipes.

Iris Rezende já é por demais conhecido. Ele já foi vereador, prefeito da capital por três vezes, deputado estadual, governador por duas vezes, ministro também duas vezes e senador. É o político goiano com mais bagagem e um dos mais experientes do Brasil. Prestes a completar 83 anos de idade, com 60 anos de vida pública, é o decano da política goiana, na qual construiu um patrimônio invejável. Como se achasse pouco o que fez, quer ser prefeito da capital mais uma vez.

Aos 54 anos, Vanderlan Cardoso tem um currículo bem menos alentado que o de seu adversário. Mas também não se trata de nenhum neófito. Empresário de sucesso, foi prefeito de Senador Canedo por duas vezes, com gestões elogiadas e altamente provadas pela população. A ponto de se considerar que há duas Senador Canedo: uma AV e outra DV, ou seja, Antes de Vanderlan e Depois de Vanderlan. O empresário disputou o governo estadual por duas vezes e em ambas ficou em terceiro lugar.

Mas, tirando idade e experiência política, qual a grande diferença entre Iris Rezende e Vanderlan Cardoso? O que os distingue a ponto de dar ao eleitor a clareza de que um pode ser melhor que o outro?

Mais do que nas propostas frias, a resposta às indagações pode ser denotada das respectivas campanhas que eles fizeram no primeiro turno. Iris foi o mesmo de sempre, com o mesmo discurso e perfil político e administrativo, enfatizando sua experiência, sua capacidade de decisão. Em alguns momentos, como sempre, chegou a dizer que é “predestinado por Deus” para a vida pública.

O peemedebista voltou a falar em mutirões, uma ideia fixa que ele alimenta como solução para praticamente todos os problemas da cidade. Dessa forma, o que Iris Rezende propõe hoje foi o mesmo que propôs na campanha passada, ou seja, fazer obras. Uma cena de seu programa de TV foi simbólica sobre esse passadismo renitente do decano peemedebista. Ao entrar na residência de uma eleitora, Iris lembra que foi ele que deu a casa a ela e faz a observação: “trocou o piso, né?”

Para Iris, o importante é “dar” a casa e deixar o beneficiário para sempre refém desse benefício. Nada fala sobre o resgate da dignidade da pessoa, que no máximo pode “trocar o piso” da casa que recebeu dele, Iris, e não do Poder Público, em programas habitacionais que envolvem recursos dos governos municipal, estadual e federal.

Já a campanha de Vanderlan Cardoso pode ser ilustrada por uma mensagem que tem sido bastante difundida nas redes sociais, com o seguinte texto que reproduz uma fala do candidato durante a campanha: “Temos de investir no médico lá do bairro, no postinho de saúde, no PSF (Programa da Saúde da Família). Isso vai diminuir as filas nos Cais e nas Upas (Unidades de Pronto Atendimento) e trazer de volta a dignidade para a população”.

Dignidade é a diferença
A diferença entre os discursos de Iris Rezende e de Vanderlan Cardoso está no conceito de “dignidade”. Iris se apega a uma prática voluntarista de concessão de benefício da forma mais antiga possível, “amarrando” o beneficiário ao bem e, implicitamente, cobrando o troco, ou seja, o voto.

Já Vanderlan, de forma direta e explícita, fala em resgate de cidadania.
Outra frase do socialista difundida nas redes sociais: “O que pro­pomos é uma administração mo­derna, pautada no planejamento”.

Administração moderna, pautada em planejamento, é tudo o que Iris Rezende não consegue entregar, por um motivo simples: ele não acredita em planejamento. Ele mesmo já disse em várias oportunidades: quando precisa fazer eu faço, Deus me deu o dom da decisão. Para o decano, governar é fazer as coisas em cima da hora, sob a inspiração divina. Não precisa planejar, pesar alternativas, definir critérios, estabelecer metas. Basta ter “o dom”.

Outra diferença fundamental entre os dois finalistas na eleição para a Prefeitura de Goiânia — e essa talvez seja a mais marcante para a realidade econômica da nossa capital — é que Iris Rezende enfatiza o obreirismo. No primeiro turno, ele disse que, já no primeiro ano de mandato, pretende começar o asfaltamento de todos os novos bairros habitados da capital. Foi a mesma promessa na campanha de 2004, que ele praticamente cumpriu, mas ao modo Iris, ou seja, sem galerias pluviais e com uma pavimentação de baixa qualidade.

O candidato do PSB, por seu lado, falou em propostas para dinamicizar a economia goianiense. Ele pretende criar parques industriais na cidade, da forma que fez em Senador Canedo. Lá, foram construídos quatro parques industriais, que deram importância econômica à cidade.

Segundo socialista, polos industriais propiciam condições para o desenvolvimento de micro, pequenas, médias e grandes empresas em diferentes regiões da cidade, am¬pliando o leque de geração de em¬prego. Vanderlan aposta que a cidade pode investir na formalização dos microempresários e empreendedores individuais, que podem pagar menos ISS, o que poderia amenizar os sintomas da crise econômica.

Como se vê, as diferenças entre os dois candidatos são muitas. O leitor vai escolher o que mais interessa aos goianienses, numa aposta para o presente e para o futuro.

Vanderlan Vieira Cardoso

Vanderlan Cardoso, candidato do PSB: uma força política nova, avessa a controles políticos, poderá, se eleito prefeito de Goiânia, contribuir para definir as forças que disputarão o governo de Goiás em 2018 | Foto: Renan Accioly

l Goiano de Iporá (a 216 km de Goiânia, no oeste do Estado), tem 53 anos, é empresário, com empresas instaladas em Goiás e outros Estados. Casado, tem dois filhos. Foi prefeito de Senador Canedo por dois mandatos, entre 2004 e 2010, quando saiu da administração do município para disputar as eleições para governador do Estado, sem sucesso. Candidatou-se ao governo em 2014, novamente sem sucesso.
l Coligação: Uma Nova Goiânia
(PSB, PSDB, PRB, SD, PHS, PSL, PP, PPS, PSC, PV, PMB e PSDC)
l Votação no primeiro turno: 31,84% – 217.981 votos

Principais Programas Vanderlan

Gestão
l Goiânia dividida em oito regionais
Vanderlan vai criar oito Unidades Administrativas nas regiões de Goiânia para aproximar a prefeitura do cidadão. Com essa regionalização os recursos da Prefeitura serão melhor distribuídos e os serviços vão funcionar com mais eficiência e ficarão mais rápidos. Isso tudo sem aumentar os gastos.

l Tornar Goiânia referência nacional em transparência
A Prefeitura de Goiânia terá uma gestão municipal com transparência total e absoluta das informações do município;

l Buscar padrões de eficiência e eficácia na gestão pública
Vanderlan vai utilizar melhor os recursos financeiros. Vai fiscalizar e cobrar resultados nos serviços prestados à população, orientando e avaliando esses serviços diariamente.

Saúde
l Programa Saúde da Família com 100% de cobertura
Vanderlan vai fazer com que o Programa Saúde da Família, que hoje tem apenas 43% de cobertura, passe para 80% já no 1º ano de mandato e atinja 100% até o final do mandato. Isso vai desafogar o atendimento de urgência e emergência nos Cais, Ciams e UPAS (Unidades de Pronto Atendimento)

l Criação de Oito Centros de Especialidades Médicas, Odontológicas e de Fisioterapia
Todos os centros terão médicos especialistas nas mais diversas áreas, como cardiologia, urologia, pneumologia, oftalmologia, pediatria, entre outros, além de centros para pequenas cirurgias. A população vai ter um atendimento de qualidade mais próximo da sua casa.

l Programa Remédio em Casa
Pacientes que fazem uso de medicação controlada ou que estão acamados vão receber o remédio em casa, com comodidade e conforto. Este programa vai beneficiar cerca de 60 mil pacientes que precisam desse tipo de medicamento em nossa capital.

l Implantação do Programa Fisioterapia / Terapia Ocupacional e Nutrição em domicílio
Para pacientes acamados e com dificuldades de locomoção.

l Projeto Ortodontia
Tratamento ortodôntico com a colocação de aparelhos em crianças entre 7 a 14, comprovadamente sem condições de pagar o tratamento

l Projeto Saúde sem Peso
Acompanhamento para reduzir peso/medida corporal e melhorar as condições de saúde. Uma equipe multiprofissional acompanhará os pacientes em orientando sobre alimentação adequada e exercícios físicos. Esse projeto vai beneficiar de 8 a 10 mil pessoas, uma média de 80 por mês.

l Desburocratizar o serviço público no setor da saúde
Agilizar a liberação de exames, cirurgias, consultas com especialistas, construção e reforma de prédios, pagamento de fornecedores e distribuição de medicamentos e materiais de insumos nas unidades de saúde

Trânsito e mobilidade urbana
l Vanderlan quer melhorar a sinalização de toda a cidade no padrão adequado aos grandes centros.
l Nas avenidas principais de Goiânia vamos implantar a fiação subterrânea, sinalizar as faixas com lâmpadas de LED e criar uma Central de Monitoramento e Fiscalização de Trânsito, a exemplo do que foi feito no RJ para as Olimpíadas. Nesta Central, dependendo do fluxo intenso de veículos o tempo dos semáforos podem ser alterados para melhorar o tráfego, além da presença de mais fiscais no trânsito.
l Vanderlan vai reconstruir a rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC) sob os aspectos operacional, institucional e econômico-financeiro, repensando o modelo de tarifa única
l Vai implantar a Central de Controle Operacional Integrada, com sistema de monitoramento em tempo real 24 horas por dia, 7 dias na semana.

Infraestrutura
l Muitas galerias pluviais com dimensionamento antigo serão trocadas e será feita uma grande trabalho de manutenção, evitando os inúmeros alagamentos que Goiânia sofre no período de chuvas.
l Levar asfalto aos bairros que hoje vivem na poeira e construir pontes para garantir o melhor fluxo de veículos e pedestres.

Desburocratização
l Implantar em Goiânia o Projeto criado pela ONG Comunitas, que trabalha com várias Prefeituras em diversas áreas, buscando sempre eficiência na gestão, com redução de custo e aumento de receitas.
l Agilidade na liberação de licenças para construção e reforma.

Segurança
l Na segurança primária, Vanderlan vai cuidar da segurança preventiva, que é o investimento no esporte, a ampliação de vagas nas creches para as crianças, a iluminação pública trocando lâmpadas comuns por lâmpadas de LED, a garantia de segurança nas praças, a aplicação de cursos de qualificação profissional, dentre outros programas complementares.
l Na outra ponta e andando em paralelo, Vanderlan vai reforçar a parceria com o Governo do Estado, ampliar a guarda municipal com a contratação de mais homens e mulheres, investir na polícia comunitária e nas parcerias com o Judiciário e Ministério Público.
l Integração de todas as forças policiais para garantir ações de segurança também na zona rural do município de Goiânia.

Educação
l Aumento da oferta da Educação Infantil priorizando a construção de novas unidades, ampliando escolas já existentes e aumentando os convênios com a rede filantrópica.
l Aumento de imediato no número de vagas nos CMEIs.
l Expansão da oferta da Educação Infantil para atender a demanda de alunos de 0 a 5 anos.
l Implantação do Programa Aluno em Tempo Integral, onde as crianças escolhem uma modalidade esportiva, artística ou cultural, como futebol, balé, aulas com instrumentos musicais, danças de rua, desenho e pintura. Todas estas modalidades são realizadas no turno livre fazendo com que as crianças permaneçam o dia inteiro em atividade.
l CMEI sem Férias – para continuar atendendo as crianças durante as férias escolares, afinal, as mães continuam trabalhando nesse período e não tem com quem deixar seus filhos.
l Programa Família na Escola – vai atender aos alunos adultos que tem filhos e querem continuar estudando à noite, mas não tem com quem deixar suas crianças. Os filhos vão com os pais para a escola e lá ficam em um espaço separado onde fazem tarefas recreativas sob a responsabilidade de cuidadores. Este programa foi implantado de forma pioneira em Senador Canedo e chamou a atenção do Brasil inteiro.
l Valorização dos profissionais da educação ao longo da carreira com garantia de qualificação e formação continuada, oferendo condições adequadas de trabalho e salários com a análise e revisão dos Planos de Cargos e Carreira.

 

Iris Rezende de Machado

Iris Rezende: o peemedebista nunca esteve tão animado

l Goiano de Cristianópolis (a 86 km da capital, no sul de Goiás), tem 82 anos e é formado em Direito. Iniciou a vida política em 1958, como vereador em Goiânia. Depois foi eleito deputado estadual, prefeito de Goiânia por três vezes, governador por duas vezes, ministro da Agricultura (governo José Sarney) e da Justiça (gestão de Fernando Henrique Cardoso) e senador. Disputou e perdeu o governo estadual em 1998, 2010 e 2014.
l Coligação Experiência e Confiança
(PMDB, PRP, DEM, PDT, PRTB e PTC)
l Votação no primeiro turno: 40,47% – 277.074 votos

Principais programas de Iris Rezende

Educação
l Construir 20 novas escolas de tempo integral do ensino fundamental, criando 15 mil novas vagas;
l Zerar o déficit de vagas nos Cmeis;
l Reformar e ampliar as unidades de ensino municipal;
l Contratar novos e promover a valorização dos servidores da Educação.

Saúde
l Colocar todos os Cais para funcionarem 24 horas;
l Reformar e padronizar todas as unidades municipais de saúde;
l Contratar novos servidores e valorizar os todos os profissionais da área da saúde;
l Retomar a entrega de medicamentos para idosos e pacientes crônicos em suas casas;

Infraestrutura
l Construir novos conjuntos habitacionais para atender a população de baixa renda;
l Utilizar os espaços vazios nas regiões centrais para construir apartamentos populares;
l Implantar as sete Administrações Regionais para descentralizar os serviços da prefeitura, conforme o projeto de Lei de autoria do então prefeito Iris Rezende de dezembro de 2008;
l Conquistar o título de Capital mais limpa e com melhor qualidade de vida do Brasil, como em 2009.

Segurança
l Renovar as lâmpadas da cidade garantindo iluminação de qualidade;
l Instalar câmeras de segurança em pontos estratégicos;
l Ampliar e valorizar a guarda municipal colocando-a para trabalhar em todos os bairros da cidade para auxiliar no controle da criminalidade;
l Revitalizar as praças e acabar com áreas abandonadas com matos e falta de cuidado na Capital.

Mobilidade urbana/Trânsito
l Abrir uma nova licitação para o transporte público;
l Fazer estudos e abrir novas linhas entre os bairros para evitar o deslocamento até as regiões centrais;
l Renovar toda a frota de ônibus com veículos novos e acessíveis;
l Reformar os abrigos das paradas de ônibus para garantir mais conforto ao usuário;
l Reformar e ampliar os terminais;
l Fazer o viaduto sobre a Avenida 136 com a Marginal Botafogo;
l Nova ligação entre a Avenida Milão com a BR-060, desafogando o trânsito nos setores Eldorado, Granville, Celina Park e região;
l Prolongamento da Avenida Leste-Oeste, até Senador Canedo (Leste) e Trindade (Oeste);
l Viaduto na Rua 90 com a Avenida 136 (Praça da antiga Apollo);
l Duplicação da Rua Abel Rodrigues Chaveiro (rua da Divisa, Agetop), ligando os setores Santa Genoveva e Jaó até a BR-153;
l Continuação da Rua Abel Rodrigues Chaveiro, ligando a Avenida Manchester (no Jardim Novo Mundo) até o Jardim das Oliveiras;
l Duplicação da Avenida Engler, no Parque Atheneu, até o Parque das Laranjeiras.

Turismo
l Revitalizar o Centro garantindo a valorização do patrimônio de arte déco;
l Incentivar o turismo religioso, cultural, acadêmico e comercial por meio de eventos na cidade;
l Reestruturar os polos comerciais de Goiânia garantindo melhores condições de trabalho e incentivar seu desenvolvimento.

Meio Ambiente
l Revitalização dos parques existentes e construção de outros 25 parques;
l Retomar e melhorar o sistema de coleta seletiva do lixo, implantado por Iris Rezende na última administração na prefeitura;
l Garantir o sistema de reciclagem e aproveitamento do lixo orgânico.

Cultura
l Retomar o FestCine;
l Retomar e modernizar o Goiânia em Prosa e Verso;
l Revitalizar o Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro;
l Incentivar a realização de eventos culturais de grande porte;
l Promover a Orquestra Sinfônica;
l Retomar a Orquestra dos Violeiros.

Transparência e Serviços
l Criar o Prefeitura 24 horas, que é um aplicativo que permitirá o acesso do cidadão a todos os gastos da prefeitura – de todos os órgãos e contratos – e a resolução de serviços por meio do smartphone;

Geração de empregos
l Criar do Mapa do Emprego;
l Incentivar a qualificação profissional por meio de parcerias com outras entidades;
l Contratar estagiários na prefeitura por meio de um convênio com as universidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.