Deputados federais eleitos indicam momento de reformas no Congresso

A Previdência e o sistema tributário são os principais pontos citados pelos parlamentares

Delegado Waldir, Flávia Morais, Francisco Jr, Glaustin da Fokus e José Nelto | Fotos: Jornal Opção/Divulgação

Dos 17 deputados federais eleitos em Goiás, dez vão cumprir o mandato na Câmara dos Deputados pela primeira vez. A linha de atuação dos congressistas eleitos é bem distinta, com discursos tradicionais de busca por investimento em áreas chaves, como educação, saúde e segurança pública, até projetos pessoais executados há mais tempo, como políticas públicas para o esporte.

A população também assistirá à participação dos parlamentares das duas Casas, Câmara e Senado, sobre as reformas adormecidas e as novas a serem enviadas pelo próximo presidente da República. As Propostas de Emenda à Constituição (PEC) que tramitam no Congresso Nacional tratam de diversos temas, como segurança pública, foro privilegiado, criação de carreiras profissionais e a da reforma da Previdência, considerada por deputados como uma das mais importantes.

Os parlamentares federais eleitos em Goiás têm perfis diferentes, mas relacionados aos temas debatidos na sociedade nos últimos anos, entre eles a necessidade de aprovar alterações nos sistemas previdenciário, político e tributário. Estes políticos goianos, eleitos ou reeleitos, acreditam em um novo cenário político estadual e nacional com aberturas mais fáceis para pautar o plenário e comissões das Casas Legislativas.

A deputada federal reeleita Flávia Morais (PDT) afirma que estes novos nomes e novos perfis dos eleitos para a Câmara dos Deputados vão pautar as decisões do órgão. “Teremos uma Presidência desinflada de grupos políticos antigos do Brasil e agora é o momento para grandes mudanças”, sublinha a deputada.

O eixo de atuação de Flávia Morais para seu terceiro mandato na Câmara dos Deputados a partir do ano que vem se sustenta em destinar mais dinheiro público ao Sistema Único de Saúde (SUS) para evitar que entre colapso. Os demais temas chaves, segurança pública e educação, estão no radar da deputada para receber mais recursos da União em Goiás.

Flávia também se dedica na Comissão do Esporte da Câmara para implementar políticas públicas que evitem o ingresso de jovens e adolescentes no crime organizado e problemas de segurança pública decorrente da drogadição. “O esporte é um instrumento importante para desviar as pessoas do crime e das drogas. Continuarei meu trabalho na Comissão do Esporte para fortalecer essa área”.

O deputado estadual José Nelto (Podemos), eleito deputado federal com 63 mil votos, vai assumir uma cartilha de combates à corrupção, mudança das leis penais, violência e mordomias e privilégios do Poder Público. “O Brasil mudou. Quem achava que o Congresso iria se tornar um balcão de negócios, é melhor nem ir tomar posse no ano que vem”, alertou Nelto.

O parlamentar separa seu futuro mandato basicamente nos seguintes seguimentos: redução de benefícios aos agentes públicos e ações na área de economia e educação.

O tópico com mais subitens na agenda de Nelto é a redução do tamanho das máquinas públicas estaduais e federais. Para o Legislativo, o parlamentar apresentará um projeto que reduz a quantidade de parlamentares no Congresso e outro que diminui o valor de duodécimo pago às casas legislativas federais, estaduais e municipais. Essa atuação pode acontecer dentro da reforma política já apresentada.

Para a educação, o deputado espera criar um fundo soberano para pasta, financiada pelo que ele chamou de “classe privilegiada” do Brasil, ou seja, os mais ricos. “O fundo não vai tirar dinheiro da classe média e pobre da nossa população”, explicou Nelto. O fundo também serviria para dar salário mais digno aos professores e ajudar na consolidação das escolas em tempo integral.

Segundo Nelto, o Brasil é o paraíso dos banqueiros pela baixa concorrência. “Tem que se abrir o País para ter mais instituições bancárias e baratear os juros do crédito oferecido aos clientes. O modelo mais viável para se chegar a esse nível é o norte-americano, onde tem diversos bancos diferentes.” Sem adiantar o conteúdo da proposta por estar em fase de elaboração, o deputado diz querer apoiar a iniciativa privada, que gera empregos aos jovens e demais trabalhadores.

Nelto afirma ser um deputado reformista. “Vou votar a reforma da Previdência sem prejudicar a classe média e pobre. O clima político está favorável para as reformas. Quem não entender que o Brasil precisa de reformas, vai perder o bonde da história.”

As emendas parlamentares de José Nelto serão divulgadas para a população goiana e o parlamentar entregará uma cópia para a Polícia Federal e o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE-GO). “Quero transparência total nas minhas emendas”, frisa.

Ao governo de Goiás, o parlamentar quer apresentar uma moratória da dívida do Estado porque, segundo ele, o cofre público não tem dinheiro nem para pagar os servidores estaduais.

Em relação ao resultado da eleição presidencial, o parlamentar prega união das classes: “Não é momento para divisões nem violência”.

Fim das mordomias

Deputado federal reeleito com 274 mil votos, Delegado Waldir Soares (PSL) encorpa o time de parlamentares que querem acabar com as próprias regalias com o intuito de enxugar o orçamento e a estrutura do Congresso, consideradas por ele como um “grande dinossauro”.

A matéria mais polêmica apoiada pelo delegado que tramita na Casa diz respeito à extinção das estruturas de Prefeitura e Câmara Municipal de para municípios com menos de 5 mil eleitores. “O recado veio muito claro das urnas: ou vocês mudam o País ou nós mudamos vocês. Em Goiás, foram apenas sete deputados federais reeleitos. A população está cansada de pagar essa máquina pública cara e ineficiente”, disse Waldir ao avaliar o cenário político pós-eleição.

O deputado federal afirma que as pessoas entendem os espaços políticos, como as assembleias, prefeituras, governos e o congresso nacional, como local de barganha financeira e influência política. “O eleitor está em um novo momento e quem não acordar para isso terá sérias dificuldades nas próximas eleições.”

Desde a pré-campanha do primeiro turno da eleição presidencial, Delegado Waldir demonstrou apoio ao presidente eleito Jair Bolsonaro, em declarações públicas e na ajuda no cumprimento da agenda do capitão reformado do Exército em Goiás por duas ocasiões.

Após a eleição de Bolsonaro, o parlamentar afirmou que foi apenas um colaborador no processo eleitoral, afastando a possibilidade de assumir um cargo de confiança no futuro governo. “Algumas pessoas se colocam como ministros, mas o presidente terá um critério técnico para compor seus ministérios. Ninguém vai colocar a faca no pescoço do Bolsonaro para pedir nada”, ressaltou Waldir.

Redução da carga tributária e geração de empregos

Outros dois eixos citados constantemente pelos deputados eleitos Glaustin da Fokus (PSC) e Francisco Júnior (PSD) são a geração de empregos e reforma do sistema tributário para a próxima legislatura.

Francisco Júnior diz que seu trabalho é focado diretamente no que atinge a vida do ser humano: qualidade de vida e saúde. “Minha preocupação é com o ambiente em que a pessoa vive, seja urbano seja rural. Quando as coisas estão em ordem, a pessoa vive melhor e produz melhor. Meu trabalho na Câmara Federal será para ajudar as pessoas estarem vivendo cada vez melhor.”

A renovação acentuada no Congresso abre caminho para a votação das reformas consideradas necessárias ao País, no entendimento de Francisco Júnior. “A população elegeu os novos parlamentares esperando as mudanças necessárias às melhorias que o Brasil precisa”.

Para Glaustin da Fokus, é urgente aprovar as reformas para retomar o crescimento econômico e o equilíbrio fiscal nas contas da União. “No que depender de mim, Bolsonaro terá meu apoio para aprovar projetos que vão melhorar o Brasil. Vamos atuar em conjunto em vários assuntos”, declarou o parlamentar eleito.

Recentemente, Glaustin visitou o Congresso por três vezes e se reuniu com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para conhecer o ambiente do parlamento.

O futuro parlamentar aposta em uma reformulação profunda dos políticos após a expressiva troca de figuras políticas pelo País. “É importante avaliar, a partir desse contexto, o recado que as urnas deram no quesito renovação. Nunca disputei um cargo público e fui o sexto deputado mais votado de Goiás, com votos em 245 municípios. Tivemos uma renovação recorde neste ano, mais da metade das cadeiras no Congresso será ocupada por novos representantes porque a população acredita em novas práticas administrativas e políticas.”

Glaustin afirma que a desburocratização do sistema tributário é essencial para gerar empregos e renda neste momento da economia brasileira. Em sua caderneta de atuação, também está um olhar especial aos municípios que lhe renderam um mandato para os próximos quatro anos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.