Águas Termais são mais uma alternativa de turismo na Chapada dos Veadeiros

“Os estudos indicam que a região possui potencial de desenvolvimento de atividades turístico terapêuticas”, diz Lívia Parreira

Sinésio Dioliveira

Especial para o Jornal Opção

Eleita pela TripAdvisor como um dos melhores lugares do mundo para o turismo ao ar livre, a Chapada dos Veadeiros deverá também contar com o atrativo das águas quentes, que garantirá o fluxo de visitação também nos meses chuvosos, de outubro a março.

O site sciencedirect.com divulgou artigo científico sobre as águas termais da Chapada dos Veadeiros que será publicado neste mês no jornal “Groundwater Sustainable and Development”, da editora Elsevier.

A Elsevier está entre as três maiores editoras de publicações acadêmicas do mundo e o “Groundwater Sustainable And Development” é o mais importante jornal científico na área de hidrogeologia e águas subterrâneas.

O artigo intitulado “Hydrochemical and age constraints of the Chapada dos Veadeiros geothermal reservoir, central Brazil” tem autoria da geóloga Tassiane Junqueira e dos professores do Instituto de Geociências da UnB e Faculdade de Ciências e Tecnologia da UFG José Elói Guimarães Campos, Marco Antonio Caçador Martins Ferreira, Flávio Henrique Freitas Silva e Jeremie Garnier.

A publicação dá destaque científico para a estrutura hidrogeológica, idades, temperaturas e qualidades hidroquímicas dos grupos de águas quentes surgentes na linha da Falha Geológica São Joaquim, na divisa dos municípios de Niquelândia, Colinas do Sul e Alto Paraíso de Goiás.

O artigo tem por base os estudos e resultados das análises geohidroquímicas e datações de Carbono 14 das pesquisas contidas na dissertação de mestrado da geóloga, aprovada em março de 2020, pelo Instituto de Geologia e Geociências da Universidade de Brasília (IGG-UnB), com a tese do “Modelo Conceitual das Águas Termais da Chapada dos Veadeiros GO: Estudos Estruturais, Hidroquímicos e Isótopicos”.

Visão detalhada das jazidas de águas quentes na linha da Falha Geológica São Joaquim e sua localização no mapa hidrográfico e das cachoeiras e cânions no entorno do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e Parque Estadual Águas do Paraíso

As pesquisas identificaram três grandes grupos de jazidas de águas termais surgentes ao longo de 18 km da linha da falha geológica com temperaturas entre 28ºC e 42ºC, 1.352 e 7.877, e qualidades químicas medicinais.

A publicação ocorre após relatório do setor de geologia da SMIN – Superintendência de Mineração formalmente reconhecer o potencial das jazidas para a instalação de um polo de turismo termal na região, e determinação do secretário Joel de Sant’anna Braga Filho, da SIC, para abertura de agenda de articulação com os demais agentes do governo para estimular um plano conjunto de desenvolvimento regional a partir do turismo termal.

“Os estudos indicam que a região possui potencial de desenvolvimento de atividades turístico terapêuticas”, explicou Lívia Parreira, superintendente de Mineração da SIC, em reunião dos titulares dos direitos minerários com o secretário estadual de Indústria e Comércio (SIC), Joel de Sant’Anna Braga.

Joel Santana Braga, secretário da Indústria e Comércio | Foto: Divulgação

Para Uélio de Jesus, dono da Pizzaria Lua Nova em São Jorge, “a existência de um polo de águas quentes aqui vai manter a regularidade da visitação no período das chuvas, quando quase tudo fecha na região”. Uélio é morador da Vila Chapadinha, passagem para os cânions do Encontro das Águas, na área das águas termais, e já sonha com uma vila gastronômica no local.

O enclave termal está localizado na rota turística Brasília-Chapada dos Veadeiros/Vila de São Jorge, e algumas fontes, próximas da GO-239, entre Colinas do Sul e São Jorge, já são exploradas informalmente e são referências nos guias turísticos para visitação da região.

A área dos estudos acadêmicos também está sendo objeto de pesquisas minerárias autorizadas por alvarás da Agência Nacional de Mineração sob titularidade da Hanuman Minas Ltda – Projeto Termais Chapada dos Veadeiros e do advogado-empreendedor Uarian Ferreira.

Segundo o advogado, o projeto/conceito de utilização comercial do recurso mineral está exposto no site www.colinastermais.com.br, desde 2017, e foi construído em parceria com a arquiteta e urbanista Izabel Borges, de Brasília, com vasta experiência na elaboração de planos para desenvolvimento do turismo integrado sustentável, também com atuação em pesquisas e projetos para o BID, Banco Mundial e Ministério do Turismo, na Chapada dos Veadeiros.

“A temática de atração para as fontes de águas quentes do Projeto é termal terapêutica de contato com a natureza, valorizada pela própria riqueza geológica, a natureza conservada, exuberante, a diversidade humana e mística presente da Chapada dos Veadeiros, que não comporta o turismo de massa nem aglomerações como ocorrem nos parques aquáticos dos balneários tradicionais”, destaca Uarian. Segundo ele, “os princípios e proposições do Projeto incentivam a permanência e os empreendimentos dos moradores e investidores locais, com valorização das raízes, festividades e culturas da Chapada dos Veadeiros. A riqueza turística da Chapada não é só cênica, geológica e hídrica, é profundamente humana, pela simplicidade, diversidade, receptividade e capacidade integrativa de todos.”

Na reunião do último dia 13 de janeiro com o secretário Joel de Sant’Anna Braga, o grupo empreendedor apresentou proposta para criação de uma Área Especial de Interesse Turístico, com os benefícios da Lei Federal n 6.513/1977, para atração de investidores que tenham incorporadas práticas de governança e responsabilidade socioambiental (ESG).

Sinésio Dioliveira é jornalista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.