Em abril deste ano, um professor que ministrava aulas em uma escolinha de futebol situada numa quadra esportiva de um bairro em Rio Verde foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás (MPGO) e, posteriormente, condenado pela Justiça a uma pena de 16 anos de prisão, inicialmente em regime fechado, por crime de estupro de vulnerável. O delito foi cometido contra vários de seus alunos, com idades entre 7 e 10 anos, que frequentavam o local para treinamento esportivo.

O promotor de Justiça Marcelo Henrique Rigueti Raffa, responsável pela 9ª Promotoria de Rio Verde, relatou que, em 2022, denúncias anônimas apontaram comportamentos suspeitos do professor em relação aos menores. Uma das denúncias indicava que o professor teria mostrado conteúdo pornográfico a um dos alunos, de 10 anos, visando envolvê-lo em práticas libidinosas.

No decorrer deste ano, novas denúncias levaram a polícia a investigar o professor, que, com a intenção de ganhar a confiança das crianças, as levava a um clube da cidade, presenteava-as com brindes, lanches e até mesmo pequenas quantias em dinheiro. Em uma dessas visitas ao clube, ele foi flagrado praticando atos indecentes com dois dos meninos, de 7 e 8 anos. O acusado permanece detido e não terá permissão para apelar em liberdade.

O indivíduo foi detido em flagrante e levado à delegacia, onde negou veementemente as acusações. No entanto, uma análise realizada com autorização judicial revelou a existência de uma imagem de uma criança nua em seu dispositivo celular. Durante o interrogatório, alegou ter capturado a imagem inadvertidamente, afirmando desconhecer a ilegalidade de tal ação.

Considerando as evidências apresentadas e os testemunhos coletados, o réu, que já estava sob custódia na Casa de Prisão Provisória de Rio Verde, recebeu uma sentença condenatória de 16 anos de reclusão proferida pela Justiça. O condenado não terá permissão para apelar em liberdade e deverá iniciar o cumprimento da pena em regime fechado.

Leia também: