O julgamento em júri popular de Maurício Sampaio acontece nesta segunda-feira, 7, às 8h30 no Tribunal de Justiça, em Goiânia. A defesa tentou uma manobra contestando a imparcialidade do juiz Lourival Machado e pedindo a suspensão do julgamento. Advogado solicitou que o processo fosse transferido para outra comarca, no interior do estado, o pedido foi protocolada no sábado, 5.

Sampaio é acusado de mandar matar o radialista Valério Luiz, morto a tiros ao sair da rádio em que trabalhava. O crime aconteceu de 5 de julho de 2012, há 10 anos.

Nas redes sociais, Valério Filho se mostrou indignado com a situação.  “Sampaio acaba de entrar com um habeas corpus preventivo, temendo sair preso do Júri, e ainda com um pedido, pasmem, para que não seja julgado em Goiânia, mas no interior. Considero impossível que o TJ acolha esses absurdos, mas, com essa gente, todo cuidado é pouco”, escreveu.

No julgamento, cinco réus são acusados do homicídio: Urbano de Carvalho Malta, Marcos Vinícius Pereira, Maurício Borges Sampaio, Djalma Gomes da Silva e Ademá Figueiredo Aguiar Silva.

Ao todo, participam do julgamento 24 testemunhas, sendo 5 do Ministério Público; 5 do Maurício; 5 do Ademá; 5 do Djalma e 4 do Urbano. O réu Marcos Vinícius não arrolou testemunhas. Também haverá a presença de 7 jurados.