Veículos com água, alimentos e medicamentos que compõem a ajuda humanitária para a população da Faixa de Gaza passaram pela fronteira do Egito na manhã deste sábado, 21. No momento, apenas 20 de 200 caminhões foram autorizados a atravessar a passagem de Rafah.

Uma fila com cerca de 200 utilitários de ajuda estava aguardando a liberação havia alguns dias para entrar em Gaza. Ao todo, os veículos carregam mais de 4 mil toneladas de itens, segundo a rede ABC News.

Pela primeira vez desde o começo a guerra entre Israel e o Hamas, iniciada com o ataque terrorista em 7 de outubro, a fronteira entre a Faixa de Gaza e o Egito foi aberta para a entrada de cargas com ajuda humanitária.

A inspeção dos veículos seria um dos pontos de conflito. Um representante das forças de segurança do Egito relatou à ABC News que os israelenses querem examinar tudo que está sendo enviado à Gaza. O objetivo seria garantir que não haja nada que possa ajudar o Hamas. Paralelamente, Israel continua com bombardeios próximos dali, o que também impede a passagem dos caminhões

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, alertou que a região está “a um passo do precipício”. Em seu discurso durante a cúpula no Cairo, neste sábado, 21, ele deixou claro que a ajuda é ainda insuficiente. Ele destacou como um comboio de 20 caminhões está se deslocando. “Mas o povo de Gaza precisa de um compromisso muito, muito maior – uma entrega contínua de ajuda a Gaza na escala necessária”, disse.

“Ontem fui ao posto de fronteira de Rafah”, afirmou Guterres, que disse ter visto o que chamou de ” paradoxo”. “Por um lado, vi centenas de caminhões repletos de alimentos e outros suprimentos essenciais. Por outro lado, sabemos que, do outro lado da fronteira, há 2 milhões de pessoas sem água, comida, combustível, eletricidade e medicamentos. Caminhões cheios de um lado, estômagos vazios do outro”, resumiu.