Apesar das aulas no ensino público municipal terem começado nesta quarta-feira, 18, cerca de 200 crianças de três ocupações de Goiânia estão sem material escolar básico (como lápis e caderno). A denúncia é do Movimento de Trabalhadores e Trabalhadoras por Direitos (MTD-GO).

Segundo a nota, a falta de condições financeiras impede que muitos pais e responsáveis possam custear a aquisição destes materiais básicos, que deveriam ser fornecidos como parte de uma política pública de educação. “Não é possível aceitar a continuidade desta situação de exclusão”, denuncia.

A entidade sugere que uma alternativa para enfrentar esse problema é a sanção e implementação do PL 361/2021, de autoria do vereador Romário Policarpo (Patriota), que institui o Programa de Aquisição do Kit Pedagógico por meio da criação do “Cartão Material Escolar”. O projeto já foi aprovado pela Câmara de Goiânia e aguarda sanção do Prefeito Rogério Cruz (Patriota).

O MTD-GO denuncia os estudantes seguem sem acesso ao material escolar. “O que certamente impacta negativamente sua possibilidade de acompanhar as atividades escolares e seu aprendizado. Crianças estão sendo prejudicadas pela omissão do prefeito de Goiânia e do secretário municipal de Educação”, diz o comunicado.

O Jornal Opção entrou em contato, por e-mail, com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Goiânia, mas, até o fechamento desta edição, o órgão não havia respondido aos questionamentos da reportagem. O espaço segue aberto para novas manifestações.