Uma mulher idosa de 78 anos que vivia em condições semelhantes à escravidão foi resgatada de uma residência em Fortaleza. Por mais de 40 anos, ela realizava tarefas domésticas em troca de comida e abrigo.

Durante o resgate, que ocorreu na segunda-feira, 15, os proprietários da casa alegaram que a mulher era “parte da família”. No entanto, ela foi levada para um abrigo e está recebendo assistência de equipes multidisciplinares. A família responsável pela exploração enfrentará uma ação civil pública.

Uma denúncia anônima levou as autoridades até a residência onde a vítima estava. O Ministério Público do Trabalho (MPT) está movendo uma ação buscando indenização por danos morais, pagamento de salários e benefícios rescisórios para a vítima. O valor a ser estipulado ainda não foi divulgado pelos órgãos competentes.

Ela trabalhava de domingo a domingo, sem folgas nem férias. Não tinha carteira de trabalho assinada, não recebia salário e não tinha períodos de descanso do trabalho, afirmou o MPT, em nota.