Euler de França Belém
Euler de França Belém

Sai no Brasil biografia de Kamala Harris, a vice-presidente dos Estados Unidos

Um dia, depois de Joe Biden, a ex-senadora pode se tornar presidente do país mais rico da Terra? É provável

Os Estados Unidos são um país racista. Não um racismo qualquer. Trata-se de um racismo orgânico, sistêmico. Movimentos racistas tiveram de ser contidos pela lei, e à força, dada a resistência dos brancos que atacavam (e ainda atacam) os negros. Políticas mais duras contra o preconceito e a violência são recentes — datam da década de 1960, no governo compartilhado de John Kennedy e Lyndon Johnson (um presidente que, não fosse a Guerra do Vietnã, teria figurado melhor na história).

Há alguns anos, contrariando o racismo incrustado na sociedade, os americanos elegeram um negro, Barack Obama, para presidente. Trata-se de um dos mais importantes fatos históricos do século 21 e, a rigor, da história dos Estados Unidos. O líder do partido Democrata fez um governo moderado e agradou os americanos, no geral. Do ponto de vista moral, não se corrompeu. No Brasil, é, por vezes, interpretado de maneira equivocada, como se fosse um político de esquerda. Não é. É um liberal em economia e nos costumes, como costumam ser os liberais na maioria dos países.

Os Estados Unidos estarão “preparados” para uma mulher negra como presidente? É possível. Barack Obama, depois de ter debelado uma crise econômica de caráter recessivo, conquistou parte significativa dos americanos. Ele é moderado, mas, ao seu modo, diz o que é preciso dizer. É uma espécie de Gandhi que, quando presidente, soube também ser guerreiro, não pacifista. Porque representava um Império.

Kamala Harris é mais radical do que Obama? Parece. Mas a tendência é que, no governo, ainda que como vice, se torne mais moderada, o que não significa sacrificar seu ideário. Desde já, é uma grande vencedora. O presidente Joe Biden, um moderado, certamente será pressionado por sua aliada a governar de maneira mais aberta e inclusiva. A primeira missão é destrumpizar o país.

Joe Biden e a vice-presidente Kamala Harris | Foto: Reprodução

Um dia, Kamala Harris poderá ser presidente dos Estados Unidos? É provável. Talvez até bem cedo, logo depois do governo de Joe Biden, se o democrata não disputar a reeleição. A ex-senadora é uma política arrojada,

A história de Kamala Harris ainda é pouco conhecida fora dos Estados Unidos. Sai no Brasil, pela Editora Agir, o livro “Kamala Harris — A Vida da Primeira Mulher Vice-Presidente dos Estados Unidos” (320 páginas), de Dan Morain. Note o título: não é a primeira mulher negra vice-presidente. É a primeira mulher. Uma nação tão poderosamente democrática, admirada por Alexis de Tocqueville, permanece excludente em relação às mulheres.

O livro já está à venda nos sites das principais livrarias.

Sinopse da Editora Agir

“A vida de Kamala Harris é pouco convencional. Ela e sua irmã mais nova foram criadas por mãe solo, uma importante pesquisadora de câncer que emigrou da Índia aos 19 anos em busca de uma educação melhor. A mãe de Harris e o pai, um professor de economia de origem jamaicana, se separaram quando a menina tinha apenas 5 anos.

“Neste livro, o experiente jornalista Dan Morain revela os detalhes da vida de Kamala Harris. Você conhecerá a ascendente promotora lidando com casos de abuso de crianças e homicídios no Condado de Alameda; a promotora pública de São Francisco implementando maneiras inovadoras de combater a evasão escolar; e vai vê-la ainda assumir o cargo de secretária de Justiça da Califórnia, feito que nenhuma outra mulher negra havia alcançado até então.

“Descobrirá sua ousada decisão de concorrer ao Senado dos Estados Unidos apenas cinco anos depois de assumir o cargo de secretária de Justiça — e de abraçar a candidatura de Barack Obama quando ele era apenas um tiro no escuro. E conhecerá Harris, a rainha da virada, que, do fracasso como candidata presidencial, articula uma brilhante campanha nos bastidores para conseguir o lugar de vice-presidente na chapa de Joe Biden. Esta biografia é um retrato fiel dos valores e prioridades de Kamala Harris, do tipo de pessoa que escolhe para estar perto, dos desafios em que se sai melhor e dos erros e riscos que teve de assumir em seu caminho até o topo”.

Leia sobre Lyndon Johnson e os negros norte-americanos

Lyndon Johnson: o presidente dos Estados Unidos que lutou ao lado dos negros por direitos civis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.