Euler de França Belém
Euler de França Belém

José Dirceu lança o primeiro volume de suas memórias

O petista, que está preso, relata histórias dos bastidores do partido que ajudou a moldar e afundar 

Montagem

O PT produziu três grandes políticos: Lula da Silva, Antônio Palocci e José Dirceu… Goste-se deles ou não, é um fato.

Ligado à Igreja Católica, Lula da Silva contribuiu para moderar o PT e não deixá-lo ser transformado numa célula comunista.

José Dirceu, com seu espírito tanto ideológico quanto de organizador, “domou” as correntes petistas, moldando-as ao realismo político dos que aceitam o jogo da representação democrática. Aproximou o empresário José Alencar e outros integrantes das sociedade civil de Lula da Silva e do PT. Talvez não tenha percebido que excesso de realismo é, no mais das vezes, destrutivo.https://www.jornalopcao.com.br/colunas/imprensa/biografia-escrita-por-jornalista-da-revista-veja-desnuda-o-mito-e-revela-o-multiplo-jose-dirceu

Antonio Palocci, hoje tão execrado, contribuiu para dotar o petismo do realismo necessário para governar, formando, como ministro da Fazenda, uma parceira quase perfeita com o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Se o governo Lula da Silva se tornou pragmático e não cometeu loucuras, típicas de gestores inexperientes, isto se deve, em larga medida, ao médico de Ribeirão Preto.

No fim de agosto, a Editora Geração lança “Memórias — Volume 1”, de Zé Dirceu (554 páginas). É provável que seja uma visão relativamente edulcorada de sua participação na vida política, mas a história do petista é, como se diz, de cinema.

Segundo release da editora, “pela primeira vez”, José Dirceu “revela segredos dos bastidores da luta política dentro do PT e do próprio governo, onde foi chefe da Casa Civil e provável sucessor de Lula, até ser abatido pelas denúncias do chamado ‘mensalão’. No primeiro volume de suas ‘Memórias’ — outro virá, com novas revelações —, ele expõe o que jamais foi dito sobre sua vida e sobre os principais líderes da política brasileira nos últimos 50 anos. Um livro imprescindível para se entender como foi a luta contra a ditadura militar, a redemocratização, a derrubada do presidente Fernando Collor, a oposição aos governos de Fernando Henrique Cardoso, a eleição de Lula e Dilma e o atual momento político do país”.

Um contraponto para as memórias é “José Dirceu — A Biografia” (Record, 471 páginas), do jornalista Otávio Cabral. É um livro crítico, mas não deixa de registrar uma certa grandeza do político, hoje preso.

Leia mais

https://www.jornalopcao.com.br/colunas/imprensa/biografo-erra-ao-dizer-que-jose-dirceu-jamais-chegou-a-lugar-nenhum.-ele-foi-primeiro-ministro-do-governo-lula

Deixe um comentário