Irapuan Costa Junior
Irapuan Costa Junior

Seis fatos da era petista no poder que provocam estranhamento

Estranheza 1

Foto: Lula Marques / Agência PT

Foto: Lula Marques / Agência PT

A Procuradoria-Geral da República — que tem sido muito expedita no levantar indícios, colher provas (no exterior, inclusive e principalmente) e representar contra Eduardo Cunha (PMDB), o presidente da Câmara dos Deputados — anda a passo de lesma quando se trata do presidente do Senado, o notório Renan Calheiros (PMDB). E o Supremo Tribunal Federal acalenta há três anos, sem julgá-lo, o processo contra Renan que o fez renunciar à presidência do Senado para salvar o mandato, em 2007.

O jornalista Josias de Souza, da UOL, que teve acesso a esse processo, fez no seu blog, dias atrás, um relato que não deixa dúvidas: as provas são por demais concretas para que Renan possa passar incólume através delas. Mas o calhamaço, que dormiu por meses nas gavetas do ministro Ricardo Lewandowski, agora cochila, também por meses, na mesa do ministro Edson Fachin. Rapaz de sorte, esse Renan Calheiros. Ou muito esperto.

Estranheza 2

mais_medicos_treinamento

Onde anda a valentia do Ministério Publico do Trabalho? Os promotores e procuradores do MPT contam-se às centenas. Estão espalhados por esse Brasil todo. Também por todo o Brasil estão espalhados os médicos cubanos, já lá se vão quase três anos. Contam-se também às centenas (ou milhares).

Todos os promotores e procuradores do trabalho sabem, embora possam até fingir que não, que esses pobres profissionais aqui estão na mais degradante condição de servidão, pois ela não só é material, com o confisco de quase todo seu salário pelo governo brasileiro e pela ditadura cubana, como também moral, pois acrescida das restrições de deslocamento e contato com outras pessoas, da vigilância policial cubana (mesmo aqui no Brasil) e da manutenção de parentes reféns na ilha dos irmãos Castro.

Dessas centenas de bravos promotores e procuradores apenas um, Sebastião Vieira Caixeta, teve a coragem de levantar a voz contra os desmandos. Os demais compõem as centenas silenciosas perante o governo, que não têm a coragem de enfrentar. São bocas sem voz, penas sem tinta, para cumprir o dever funcional, cívico e moral.

Neste mesmo instante, o MPT move intensa campanha contra shopping centers para que construam creches para os filhos de seus lojistas, dever de que esses centros comerciais tentam fugir. Louvável, porém muito mais louvável seria estender a mão para esses escravizados médicos cubanos, que longe de sua pátria e separados à força de suas famílias, estão cuidando da saúde da parte pobre da população brasileira, enquanto são roubados pelo governo desse mesmo país a que servem com sacrifício.

Estranheza 3

Rio de Janeiro- RJ- Brasil- 01/03/2015- O bolo de aniversário dos 450 anos do Rio. Ele foi montado na Rua da Carioca, no centro, com 450 metros de extensão, e distribuído com a população. Na foto, o prefeito, Eduardo Paes e o governador, Luiz Fernando Pezão. (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Há certa condescendência da imprensa, uma quase cumplicidade, com os governos cariocas, do Estado e da cidade. É tão caótico o panorama da saúde pública no Rio de Janeiro, que pede medidas de exceção. As poucas notícias que filtram já são o bastante para que se avalie a falta de médicos, de enfermeiros, de ambulatórios, de leitos, de medicamentos, de aparelhos, de insumos os mais simples, como luvas e seringas.
Mas o Rio continua festivo, gastando nas comemorações tradicionais, como réveillon e carnaval, como se tudo estivesse dentro da normalidade. É um problema nacional, alguns dirão. Não é, pois é muito menos grave em São Paulo e Santa Catarina, por exemplo. O problema nasce mesmo é da desonestidade e da incompetência. Se por um lado existem os profissionais desonestos que faltam aos plantões ou atendem com desleixo os mais necessitados, existem por outro lado os conscientes, que vêm alertando os governos para o agravamento da situação, sem que sejam ouvidos.

No ano passado, o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro denunciou publicamente o estado de calamidade da saúde pública carioca. Não era novidade, e pouco ou nada foi feito. Nos anos anteriores, Ministério da Saúde e IBGE publicaram estatísticas mostrando que o Rio de Janeiro estava em último lugar na Federação em aplicação de recursos na saúde pública. O ápice da inconsequência veio no final do ano passado e começo deste ano, com unidades de emergência de portas fechadas por impossibilidade de atendimento, como vimos nas televisões, incapazes de esconder a situação, tão grave ela é.

Estranheza 4

 Foto: Roberto Stuckert / Instituto Lula

Foto: Roberto Stuckert / Instituto Lula

Num Brasil sacudido por escândalos gigantescos no campo da corrupção, paira um interrogador silêncio sobre uma sigla: BNDES. O volume de dinheiro, de certa forma subsidiado, que saiu do banco para duas finalidades pelo menos suspeitas (financiamento de obras no exterior para empreiteiras ligadas a Lula e empréstimos a empresários “companheiros”), é muito grande. Em alguns casos, o governo cercou essas operações de um injustificado segredo. Em outros, somou-se à entrega fácil de dinheiro público a governos e ditaduras com duvidosa capacidade de pagamento, um lobby dentro do governo para adjudicação das obras financiadas a empresas que retribuíram pelo menos com contratações de palestras de Lula por cachês fabulosos. Uma CPI do Congresso nunca inspira confiança, e as autoridades que investigam o petrolão, talvez para não perder o foco, não enviaram ainda as equipes da Polícia Federal para uma boa busca no Banco e nos beneficiados. Alguém duvida que se trate de um belo filão, para quem procura casos puníveis por corrupção?

Estranheza 5

Foto: reprodução / Facebook

Foto: reprodução / Facebook

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso é incorrigível. Vítima preferencial do PT, de quem vem sofrendo os piores ataques e as mais graves acusações desde o primeiro governo Lula, sempre protege o partido adversário, ainda que em meio aos escândalos da Petrobrás e adjacências. Salvou Lula do im­peachment à época do mensalão, atendendo a pungente pedido do mesmo, levado por Marcio Thomaz Bastos. Já fez declarações favoráveis a Dilma Rousseff, atestando sua honestidade e colocando dúvidas sobre a validade do impeachment.
Na semana passada foi mais uma vez contra seu próprio partido, o PSDB, defendendo o PT.

Como se sabe o PSDB cogita de um pedido de extinção do PT por ter recebido dinheiro do exterior (Cuba ou Angola), o que foi revelado nas delações premiadas e constitui crime passível de anulação de registro partidário. Fernando Henrique discordou publicamente da medida, na semana passada, alegando que o PT deve, sim, continuar existindo. Muitos estranham essa posição, mas ela é coerente com a crença de esquerda professada por FHC, e defendida pelo Foro de São Paulo. Elos da mesma corrente ideológica, Lula e FHC. Ou como dizem, com sua sabedoria baseada na prática nossos matutos, farinha do mesmo saco.

Estranheza 6

black-blocs-fotos-publicas

Fotos Públicas

Os inquéritos abertos para apurar crimes dos black blocs, que em 2013 e 2014 promoveram monumental quebra-quebra principalmente em São Paulo, estão encerrados sem denunciar ninguém. Descarada impunidade, completa incompetência da polícia e do Ministério Público. Se não há culpados, quem depredou lojas, bancos e prédios públicos? Quem incendiou veículos? Quem agrediu e feriu policiais e repórteres? Quem andava mascarado para não ser reconhecido, e por que o fazia? Não à toa, o Movimento Passe Livre (MPL), organização que defende o absurdo do transporte gratuito, como se isso fosse possível, se apoia hoje nesses desordeiros impunes.

Uma resposta para “Seis fatos da era petista no poder que provocam estranhamento”

  1. Avatar Alexander Englander disse:

    Quanto você ganhou (e de quais multinacionais?) para escrever tanto besteira enviesada? O que você escreveu favorece a dominação do Brasil por grandes corporações estrangeiras. Que grupo político você quer favorecer? O que você diz sobre o aumento da renda dos trabalhadores nos governos de FHC e, principalmente, nos governos de Lula? Seria importante saber…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.